segunda-feira, 8 de julho de 2013

Uruguai e Argentina.

Uruguai é um país localizado na parte sudeste da América do Sul. É a casa de cerca de 3,3 milhões de pessoas, dos quais 1,8 milhão vivem na capital, Montevidéu e sua área metropolitana. De acordo com uma estimativa, entre 88% e 94% da população possui ascendência principalmente de europeus ou mista.
A única fronteira terrestre do Uruguai é com o estado brasileiro do Rio Grande do Sul, no norte. Para o oeste encontra-se o rio Uruguai e a sudoeste situa-se o estuário do rio da Prata.




O país faz fronteira com a Argentina apenas em alguns bancos de qualquer um dos rios citados acima, enquanto que a sudeste fica o Oceano Atlântico. O Uruguai é o segundo menor país da América do Sul, sendo somente maior que o Suriname.
A Colônia do Sacramento, o mais antigo assentamento europeu no Uruguai, foi fundada pelos portugueses em janeiro de 1.680. Em 1.777, com o tratado de Santo Ildefonso, a colônia tornou-se possessão espanhola. Montevidéu foi fundada pelos espanhóis no século XVIII como uma fortaleza militar. O Uruguai conquistou sua independência entre 1.810 e 1.828 após guerras que envolveram Espanha, Portugal, Argentina e Brasil. O país é uma democracia constitucional, onde o presidente cumpre o papel de chefe de estado e chefe de governo.
O Uruguai é um dos países economicamente mais desenvolvidos da América do Sul, com um dos maiores PIB per capita, em 48º lugar no índice de qualidade de vida (2.011) e o 1º em qualidade de vida/desenvolvimento humano na América Latina, quando a desigualdade é considerada. Segundo a Transparência Internacional, o Uruguai é classificado como o segundo país menos corrupto da América Latina (atrás do Chile), embora a pontuação do Uruguai seja consideravelmente melhor do que a do Chile em pesquisas de percepção de corrupção doméstica.

Foi o país latino-americano melhor classificado no Índice de Prosperidade Legatum. A Reader's Digest classificou o Uruguai como o nono país "mais habitável e verde" do mundo e o primeiro nas Américas.
O Uruguai foi o primeiro país sul-americano a legalizar uniões civis do mesmo sexo e de sexos opostos a nível nacional, o primeiro a permitir a adoção gay e a testar o cultivo de cânhamo.
Entre os anos de 2.007 e 2.009, O Uruguai foi o único país das Américas que não passou por uma recessão econômica técnica (2 trimestres consecutivos de retração). O Uruguai é reembolsado pela Organização das Nações Unidas pela maioria dos seus gastos militares, visto que a maior parte desses gastos é implantada nas forças de paz da ONU. Em 2.009, o Uruguai se tornou o primeiro país do mundo a oferecer um laptop e internet grátis sem fio para cada criança do ensino primário.



Os primeiros europeus chegaram à área no início do século XVI. Tanto a Espanha como Portugal tentaram colonizar o futuro Uruguai. Portugal tinha por base a Colônia do Sacramento (na margem oposta a Buenos Aires, no rio da Prata), enquanto a Espanha ocupava Montevidéu, fundada no século XVIII e que veio a tornar-se a capital do futuro país.

O Uruguai é o segundo menor país da América do Sul e a sua paisagem é constituída principalmente por planícies e colinas baixas (coxilhas), com uma planície costeira fértil. A terra está ocupada na sua maior parte por pradarias, ideais para a criação de bovinos e ovinos. O ponto mais elevado do país é o Cerro Catedral, com 514 m.
Ao sul situa-se o rio da Prata, onde está o Porto de Montevidéu. O Rio da Prata é o estuário formado pelo rio Uruguai, que constitui a fronteira ocidental do país, e pelo rio Paraná, fora do Uruguai, formador da mesopotâmia argentina. O país tem apenas um rio importante que o atravessa, o rio Negro, com hidrelétricas. Tem ainda parte da Lagoa Mirim, que divide com o Brasil e de algumas lagoas na costa do Atlântico.
A economia do Uruguai depende fortemente do comércio, particularmente das exportações agrícolas, deixando o país vulnerável às flutuações nos preços das commodities. Após uma média de crescimento de 5% ao ano no período de 1.996-1.998, em 1.999-2.001 a economia sofreu menor demanda da Argentina e do Brasil, que combinados respondem por quase metade das exportações do Uruguai.
Apesar da gravidade dos choques do comércio, os indicadores financeiros do Uruguai se mantiveram mais estáveis do que em seus vizinhos, um reflexo de sua sólida reputação entre os investidores e do seu grau de investimento soberano, um dos dois únicos na América do Sul. Nos anos recentes o Uruguai passou parte de sua energia para o desenvolvimento do uso comercial de tecnologias e se tornou o primeiro exportador de software da América Latina.
A condição de piora econômica teve um papel na transformação da opinião pública contra as políticas econômicas de livre mercado adotadas pelas administrações anteriores na década de 1.990, levando à rejeição popular das propostas de privatização da empresa estatal de petróleo em 2.003 e da empresa estatal de água em 2.004. O recém-eleito governo da Frente Ampla, enquanto comprometeu-se a continuar os pagamentos da dívida externa do Uruguai, também prometeu realizar um plano de emergência para atacar os problemas generalizados da pobreza e do desemprego. Em maio de 2.008, a taxa de desemprego ficou abaixo 7,2%. Em outubro de 2.009, a taxa de desemprego foi de 6,4 por cento.
Em 2.005, o Uruguai foi o maior exportador de software na América do Sul. O governo da Frente Ampla, enquanto tem feito pagamentos contínuos da dívida externa do Uruguai,55 comprometeu-se igualmente um plano de emergência para atacar os problemas generalizados da pobreza e do desemprego. A economia cresceu a uma taxa anual de 6,7% durante o período 2.004-2.008. Os mercados de exportações do Uruguai foram diversificados, a fim de reduzir a dependência de Argentina e Brasil. A pobreza foi reduzida de 33% em 2.002 para 21,7% em julho de 2.008, enquanto a pobreza extrema caiu de 3,3% para 1,7%.

Entre os anos de 2.007 e 2.009 o Uruguai foi o único país das Américas que passou por uma recessão econômica técnica (dois trimestres consecutivos de retração). Em outubro de 2.010, a taxa de desemprego caiu para 6,2%, provocando um aumento na pressões inflacionárias, embora o PIB do Uruguai tenha crescido 10,4% no primeiro semestre de 2.010.
De acordo com estimativas do FMI, o Uruguai é susceptível de atingir um crescimento do PIB real entre 8% e 8,5% em 2.010, seguido por 5% de crescimento em 2.011 e 4% nos anos subsequentes. A dívida bruta do setor público contraiu no segundo trimestre de 2.010, depois de cinco períodos consecutivos de crescimento sustentado, atingiu 21,885 bilhões de dólares, equivalente a 59,5% do PIB.


Estância histórica no interior do país.
A agricultura desempenha uma parte importante da história do Uruguai e da identidade nacional até meados do século XX, quando o país inteiro era por vezes comparado a uma única grande estancia (propriedade agrícola), centrada em torno de Montevidéu, onde a riqueza gerada no interior do país era gasta, em seu centro administrativo.

Hoje, a agricultura contribui com aproximadamente 11% do PIB do país e ainda é a principal geradora de divisas estrangeiras, colocando o Uruguai, em linha com outros exportadores agrícolas como Brasil, Canadá e Nova Zelândia. O Uruguai é um membro do Grupo Cairns de exportadores de produtos agrícolas.
A agricultura do Uruguai tem entradas relativamente baixa de trabalho, tecnologia e capital em comparação com outros países semelhantes, o que resulta em rendimentos relativamente baixos por hectare, mas também abre as portas para o Uruguai para comercializar os seus produtos como "natural" ou "orgânico".
Estâncias turísticas desenvolveram-se recentemente, mostrando a cultura gaúcha do Uruguai, fazendas históricas, e recursos naturais.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Uruguai

Montevidéu é a capital e maior cidade do Uruguai. É também a sede administrativa do Mercosul, da ALADI e capital do departamento homônimo, o de menor extensão entre os dezenove existentes. Localiza-se na zona sul do país, às margens do rio da Prata. É a cidade latino-americana com a melhor qualidade de vida e se encontra entre as 30 mais seguras do mundo.
Em 2.004, possuía uma população de aproximadamente 1.325.968 habitantes. Porém, considerando-se sua área metropolitana, Montevidéu alcança 1.968.335 habitantes, aproximadamente a metade da população do país.
Montevidéu se encontra em uma zona geográfica caracterizada como principal rota de exportação de cargas do Mercosul.

Conta com uma baía ideal, que forma um porto natural, o mais importante e mais movimentado do país.

Situa-se nas coordenadas 34° 53' 01" S 56° 10' 55" O.
O turismo é uma das atividades econômicas mais importantes de Montevidéu.
Os vestígios do passado histórico da capital são alguns dos maiores atrativos turísticos.
A Praça da Independência, a mais importante do país, possui ainda um dos portões da antiga muralha que cercava a cidade no período colonial.
A cidade tem ainda atrações como teatros, muitas lojas, centro comercial e edifícios históricos, como a sede do Congresso (Palácio Legislativo) e a Catedral (Igreja Matriz) e o Teatro Municipal (Teatro Solís).






O pôr-do-sol é desfrutado no alto do Cerro onde há um antigo forte espanhol. Suas casas de jogos e praias atraem quinhentos mil turistas por ano, em sua maioria argentinos, brasileiros, paraguaios e chilenos.

A cidade é sede política e financeira do país. É em suas indústrias que são processados os derivados da lã, carne e couro vindos das criações do interior do país para exportação. Montevidéu também concentra indústrias calçadistas, alimentícias e têxteis e de base como de cimento, de construção naval e exploração de petróleo.










Sendo o futebol o esporte preferido dos uruguaios, Montevidéu foi sede da primeira Copa do Mundo de Futebol realizada pela FIFA, em 1.930.


Seus clubes de futebol tradicionais são o Peñarol, onde atuaram Ghiggia, Pedro Rocha, Elias Figueroa, e o Nacional, onde atuaram Ancheta, Manga, Hugo de León. Ambos os clubes têm conquistas sul-americanas (Copa Libertadores da América) e mundiais (Mundial Interclubes).
Recentemente, o Defensor e o Danubio vêm destacando-se no cenário nacional.

Existem também equipes de críquete e pólo, destacadas no âmbito sul-americano.

O turfe é tradicional e o Hipódromo de Maroñas, em Flor de Maroñas, é bastante frequentado.










A cidade é um entroncamento no transporte viário ou ferroviário do país e é servida pelo Aeroporto Internacional de Carrasco, o maior do país, e pelo Aeroporto Internacional Ángel S. Adami. Seu porto é o local de entrada de grande parte do comércio externo do Uruguai.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Montevid%C3%A9u


Tannat é uma uva tinta da família da Vitis vinifera originária do sul da França. É usualmente utilizada em assemblage com merlot, para suavizar o vinho.
É a grande uva adotada pelo Uruguai, que possui uma extensa área de vinhedos dessa casta.

A tannat dá origem a vinhos de muito caráter, bastante corpo e estrutura, muito tanino, com grande intensidade de cor, aromas deliciosos de frutas escuras e chocolate, com ótima concentração. Estes vinhos acompanham muito bem pratos de carnes vermelhas, com molhos fortes.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Tannat



O Uruguai tem apenas 3,2 milhões de habitantes e uma superfície de 177 mil km2. Está localizado entre os paralelos 30 e 35 sul, latitude considerada ideal para o plantio de vinhas, a mesma dos vinhedos argentinos, chilenos, sul-africanos e neozelandeses. Mas o que chama mais atenção em sua produção é o sucesso das vinhas de Tannat, provenientes do continente europeu, mais especificamente da região de Madiran, no sudoeste francês.

Foi por volta de 1.870 que o imigrante francês Don Pascual Harriage plantou as primeiras parreiras de Tannat.  Só 200 anos mais tarde, porém, a produção comercial ganhou impulso, fase em que os imigrantes bascos iniciaram o cultivo dessa uva.


O sucesso foi tanto que a Tannat tornou-se símbolo das vinícolas do país e hoje ocupa um terço de toda a área plantada do país. No total são cerca de 400 vinícolas no país, sendo que cerca de trinta delas têm expressão internacional. Muitas são as variedades cultivadas no Uruguai. As tintas representam 72% da área cultivada. Dentre as brancas, predominam a Sauvignon e Chardonnay, com presença de Sauvignon Gris, Viognier e Riesling. Nas tintas, pode-se escolher entre diversas cepas além da Tannat, como Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot, Pinot Noir, Tempranillo, Shiraz e Petit Verdot.


Tannat uruguaia, também conhecida no país como Harriague, referência a Don Pascual, apresenta um estilo diverso do francês, devido às diferenças clonais e de terroir. Com um clima marítimo temperado, o país é cercado por três grandes volumes de água: Oceano Atlântico, rio da Prata e rio Uruguai, o que torna as temperaturas noturnas suficientemente baixas para propiciar vinhos finos e com frescor.

A pluviosidade média anual é de 900 mm e o Sol é constante. No geral, o vinho de Tannat de nossos vizinhos é menos agressivo e mais frutado que o gaulês, mantendo as características de cor escura, com taninos marcados, teor alcoólico médio e afinidade com carvalho. Para moderar sua adstringência, ela costuma ser cortada no Uruguai com a Merlot ou com a Cabernet Sauvignon para dar maior estrutura ao líquido.


Tradição familiar

A administração da Bodega Castel Pujol já está na nona geração. Isso significa mais de 250 anos na arte de produzir vinhos. Tudo começou em 1.752 com Don Francisco Carrau Vehils, na região de Cataluña, Espanha, e até hoje a tradição é mantida pelos familiares que vieram para o Uruguai, no final do século XIX, e cada vez mais investem no potencial familiar.










A Bodega conta com suas instalações antigas e tradicionais em Lãs Violetas, Canelones, e com uma sede super moderna em Riviera, divisa com o território brasileiro. Os vinhos são os mais variados possíveis: desde os tintos clássicos, passando pelos espumantes e rosés, até brancos especiais para serem servidos com queijos, como o Vivént 2.000.
http://revistaadega.uol.com.br/Edicoes/3/artigo12421-1.asp



Um dos produtos de maior comercialização nos últimos anos em matéria de queijos importados é o Queijo Uruguaio Calcar, produzido pela Cooperativa Carmelo, voltou a ser comercializado no Brasil, depois de um longo período de falta.
Esse queijo é um dos mais atraentes em matéria de aroma e paladar, sendo um queijo firme de estrutura quebradiça, podendo ser utilizado em lascas, ralado ou em fatias.
Possui coloração amarelada e sua forma é envolvida em parafina preta o que realça sua sofisticação. Matura por aproximadamente 8 meses, fato que lhe confere cristais de sal em toda a sua estrutura.
Esse é um queijo campeão e que merece uma atenção especial, pois devido as suas características e a persistência de seu sabor, fica entre um dos melhores comercializados hoje em dia.
http://danilomunizqueijos.blogspot.com.br/2009/10/queijos-calcar.html

O vinho uruguaio ganhou uma dúzia de medalhas em duas competições da OIV durante junho Foi na Selections Mondiales Des Vins em Quebec, no Canadá, e VinAgora em Budapeste, na Hungria, onde a indústria do vinho nacional foi muito bem representada novamente.
Estes são dois eventos que tem aval da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV) e da União Internacional de Enólogos (UIOE), e são parte da Federação Mundial das Grandes Concorrências Internacionais de Vinhos (VinoFed). Por sua vez, o Instituto Nacional do Vinho (INAVI) apoiou esta presença. 

Selections Mondiales Des Vins Canadá é a maior competição internacional de vinhos que se realiza na América do Norte. Realizada em Québec desde a sua criação em 1.983, é desenvolvida sob o patrocínio da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), da União Internacional de Enólogos (UIOE) e da Federação Mundial das Grandes Concorrências Internacionais de Vinhos (VinoFed).
http://www.bodegasdeluruguay.com.uy/port/noticia.php?id=401.

Alta qualidade e sucesso de público no 4o. Festival do Tannat e Cordeiro nas vinícolas do Leste.
No sábado, 09 de junho de 2.013, Bodegas del Uruguay visitou Viñedo de los Vientos e Alto de la Ballena para ver como eles desenvolveram o 4o. Festival do Tannat e Cordeiro organizado pela Associação das Vinícolas Turísticas Familiares, Uruguay Wine Tours. As vinícolas da rota do Leste mostraram sofisticação com a presença de dois chefs internacionais, Newton Figueiredo de São Paulo e o francês Laurent Lainé, em culinárias que acompanharam com os seus melhores vinhos.

Sem dúvida, dos quatro festivais que vem repetindo ano trás ano a Associação, o Tannat e Cordeiro é o maior convocante. Desde alguns dias antes o público local e estrangeiro tinha procurados os ingressos nas onze vinícolas que participaram na proposta deste ano, que foram esgotados rapidamente. Curioso para saber como esta atividade estava acontecendo nas vinícolas mais longe da cidade de Montevidéu, Bodegas del Uruguay fez o roteiro do Leste para visitar Viñedo de los Vientos nas imediações de Atlántida, e Alto de la Ballena, nas Serras do mesmo nome em Maldonado. Também lá, ambas vinícolas tinham completado o número máximo possível de comensais.

Apesar do frio que chegou de repente e castigou durante as caminhadas pelas vinhas, a calidez dos anfitriões e o cuidado de cada detalhe em apresentar as mesas com requinte, fez o público desfrutar das criações de culinária que, juntamente com os melhores vinhos desses estabelecimentos, foram o alvo de atenção, sem qualquer necessidade de utilizar as artes cênicas para amenizar as reuniões. A presença de dois chefs internacionais de alto nível em si era atraente demais para atingir o sucesso.
Alto de la Ballena
Aqui, os visitantes foram conduzidos pelo proprietário Álvaro Lorenzo e a enóloga Soledad Mello na turnê pelas vinhas para em seguida, dirigir-se à adega, onde as mesas estavam dispostas no espaço que deixavam os tanques de aço no prédio de elaboração, dando um quadro diferente do que é habitual em tais reuniões, por quanto essa vinícola muitas vezes utiliza para receber o público o mirante localizado vários metros acima, o que dá um cenário panorâmico natural às celebrações. Uma vez dentro do estabelecimento, Álvaro descreveu e mostrou aos visitantes as instalações existentes, incluindo a cave onde repousam barricas de carvalho e garrafas, e explicou o trabalho que está sendo realizado para a expansão necessária devido ao aumento da produção, sinônimo de sucesso dos vinhos que elaboram.
A seguir, a proprietária e enóloga Paula Pivel recebeu os comensais e levou-os até as mesas, e juntamente com Soledad Mello apresentou e serviu todos os vinhos que acompanharam o requintado menu que cozinhou "O Franchute" Laurent Lainé: tiro de sopa creme de abóbora sem creme, duo de patês, torradas, e picles de pepino, navarrin d'agneau petits legumes (cozido de cordeiro), e marquise de chocolat.
Os vinhos servidos foram, para começar, o Alto de la Ballena Rosé de Cabernet Franc e Merlot e o Alto de la Ballena Tannat Merlot Cabernet Franc, e seguiu com uma vertical de três safras (2007, 2008 e 2009) do seu prestigiado vinho de corte Alto de la Ballena Tannat Viognier, que foi extremamente atraente para os convidados já que permitiu avaliar a evolução do vinho ao longo do tempo. Para acompanhar a sobremesa, serviu-se um vinho fortificado (ao estilo de vinho de Porto) de Cabernet Franc, que será lançado em breve.
Viñedo de los Vientos
Na vinícola localizada na Rodovia 11, perto da cidade de Atlántida, o tímido sol do meio-dia acompanhou a caminhada com que o enólogo e proprietário Pablo Fallabrino mostrou aos visitantes a vinha e explicou os cuidados que recebem as uvas durante o processo de elaboração, bem como as próximas tarefas a realizar em breve nas vinhas como preparação para a próxima safra de 2.013.
Em seguida, todos foram para a varanda em que foi organizada uma longa mesa com tacas de cristal e detalhes típicos da delicadeza feminina aportados pela anfitriã Mariana Cerutti, esposa de Pablo, que desempenhou o seu papel para atender todos os convidados a partir de o início até o final do dia, com detalhes de elegância e distinção para os pratos preparados por Newton Figueiredo, o chef que habitualmente elabora na vinícola as delícias gastronômicas.
O menu consistiu em um tira-gosto de empadas de carne de cordeiro cortada na ponta de faca, que foram acompanhadas do Viñedo de los Vientos Tannat 2.007; o primeiro prato foi o risoto guisado de cordeiro e cogumelos e o vinho escolhido para harmonizar foi o Eolo Gran Reserva 2.008. A seguir, o prato principal que visualmente era muito atraente e antecipava o delicioso sabor foi uma cremalheira de cordeiro com legumes cozidos em forno de lenha, que harmonizou com o Angel's Cuvée Ripasso de Tannat 2.007, para fechar com o Licor de Tannat Alcyone que acompanhou a sobremesa de surpresa de chocolate.

O Festival de maior sucesso


O 4o. Festival do Tannat e Cordeiro foi desenvolvido também com ingressos esgotados em outras nove vinícolas que tinham propostas variadas e atraentes (Antigua Bodega Stagnari, Reinaldo De Lucca, Marichal, Vinos Finos J Carrau, Bouza Bodega Boutique, Filgueira, Establecimiento Juanicó, Vinos Finos H Stagnari e Viña Varela Zarranz), algumas delas, como para tomar o pulso do sucesso deste evento da Los Caminos del Vino, teve de repetir o evento no dia seguinte.





Certamente esta quarta edição do Festival que a gente chama de "o mais palatável" entre os Festivais que organiza a Associação, tem sido a sua consolidação final. A presença de visitantes chegados dos países vizinhos especialmente para participar do Festival é a prova de que sua importância transcendeu as fronteiras.
http://www.bodegasdeluruguay.com.uy/port/noticia.php?id=396

Na Argentina e no Uruguai o churrasco típico é chamado asado, e é o prato nacional de ambos países. Tradicionalmente é feito na grelha com uso de lenha.
Nos pátios das casas aos domingos, nos parques e até em locais específicos em balneários, os uruguaios desfrutam seu asado. Na capital Montevidéu, o tradicional Mercado del Puerto é um ponto especial para nativos e para turistas consumirem a parrillada e outras especialidades da culinária local e regional, além de escutar música como o candombe (ritmo afro-uruguaio), tango, folclore, entre outras atrações.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Churrasco


De acordo com a estrutura de ferro forjado, uma reminiscência de estações ferroviárias europeias, está escrito uma legenda, onde se lê que os materiais utilizados na sua construção foram destinados para a construção de uma estação ferroviária na área do Pacífico, depois de ter naufragado ao largo da costa uruguaia, em ponto desconhecido, o navio que os transportava. 
Mas a verdadeira origem do mercado deveu-se a uma iniciativa privada da Inglaterra que trouxe os planos e as novas técnicas de construção, que causaram choque estrutural na sociedade Montevidéu. 

O Velho Mercado, deu origem a numerosos ambientes locais e heterogêneos em que os restaurantes , terraços, artistas de rua, comediantes, artesãos, pintores e todos os tipos de pessoas que vêm ao mercado para comer, fazer compras ou simplesmente para observar o curioso amálgama humano que se reúne na área circundante. 
Em especial Sábado é o dia escolhido para transformar o local em uma conferência animada por mímicos, cantores, artistas e memoráveis ​​para os visitantes. A comida no local é excelente e variada, desde churrasco a pratos da sofisticada cozinha internacional clássica. 
Ex-relógio Inglês com a sua base de madeira entalhada e top metal, domina o interior, localizado no centro do mercado. Com o tempo, o Mercado del Puerto tem mantido um charme inesquecível para o visitante que circulam por seus labirintos.
http://www.mercadodelpuerto.com.uy/noticias-home.html#

Mercado del Puerto
É o programa número 1 de Montevidéu: ir ao velho mercado e comer churrasco num dos 14 restaurantes especializados em churrasco que dividem o seu espaço. A razão de vir até aqui nem é para comer a melhor carne da cidade — come-se excelente carne em qualquer da cidade. O que torna o Mercado um passeio único é a possibilidade de comer com vista para a churrasqueira. Muitos restaurantes têm balcões em torno da grelha inclinada, típica do Uruguai. É como comer num sushibar, só que em vez de apreciar a habilidade do sushiman, você observa a técnica do asador, que vai mudando de lugar na grelha os cortes (e os miúdos) à medida que vão assando.
Claro que você sai do almoço quase tão defumado quanto a parrilla que comeu, mas faz parte.
Sextas, sábados e domingos são os dias mais cheios. E à noite, quando a Ciudad Vieja morre, só funcionam os restaurantes que têm entrada externa. Se onde você for, enquanto a carne é preparada, a tradição é tomar um medio y medio, drink que mistura vinho branco com espumante e foi inventado num dos restaurantes do mercado, o Roldós. 

Gosto muito do balcão do El Palenque. Abre de 3a. a sábado do meio-dia à meia-noite; domingo do meio-dia às 17horas; fecha segunda. Tel.: (598) 2917-0190.

http://www.viajenaviagem.com/2012/01/montevideu-onde-comer/


Já escrevemos sobre Punta del Leste, quando postamos Cidades a beira Mar I em abril deste ano. Mas sempre é bom voltar a escrever sobre esta maravilhosa cidade uruguaia.
Punta del Este é uma cidade do Uruguai, localizada no departamento de Maldonado. Está entre os dez balneários de luxo mais famosos do mundo e é um dos mais charmosos da América Latina, oferecendo tanto praias oceânicas (oceano Atlântico) quanto de rio (Rio da Prata).
A cidade foi fundada em 1.829 por Don Francisco Aguilar, e seu primeiro nome foi Villa Ituzaingó. Em 1.907, passou a se chamar Punta del Este.

Nas temporadas de verão o balneário ultrapassa os 200 mil habitantes.

Pode-se acessar a Punta del Este por diferentes meios de transporte, seja terrestre, aéreo ou por via marítima.
Aéreo
Desde algumas cidades da América do Sul se pode acessar por via aérea ao Aeroporto Internacional de Carrasco e desde aí por via terrestre dirigi-se a Punta del Este.

Existem vôos desde Buenos Aires, São Paulo, Belo Horizonte, Santiago de Chile e Assunção ao Aeroporto Internacional de Laguna del Sauce, pela linha aérea uruguaia PLUNA, e a chilena LAN a 21 km do balneário.
Há também o Aeroporto Internacional El Jaguel, que abrange vôos internacionais diretamente para Punta e localiza-se em Punta del Este.



Marítimo
Diversas companhias oferecem transporte diariamente entre Buenos Aires e Montevidéu por via marítima. Desses lugares pode-se tomar um ônibus com destino a Punta del Este ou continuar a viagem pela rodovia.


Via terrestre
Os visitantes que desejem acessar por via terrestre poderão fazer-lo tanto em ônibus como em veículo próprio . Desde o Terminal Tres Cruces em Montevidéu, assim como de outras cidades importantes de países limítrofes ou do interior do Uruguai, conta com linhas regulares diretas e indiretas, que acessam a península sobretudo na temporada alta (dezembro à março).

A cidade de Punta del Este é reconhecida, entre outras coisas, como um dos mais importantes e exclusivos balneários da América do Sul, assim como o ponto de encontro do jet set Argentino. Balneária por excelência, natural e sofisticada, na atualidade conta com uma Rambla, suntuosas casas típicas de balneários, modernos edifícios de grande altura, um porto com grande infra-estrutura e capacidade de desembarque, locais comerciais de importantes marcas, restaurantes, pubs.


Distante aproximadamente 200 quilômetros da fronteira com o Brasil e 130 quilômetros da capital Montevidéu, o balneário é conhecido por ser frequentado por artistas, milionários e membros da alta sociedade de vários países, atraindo mais de 400.000 turistas na alta temporada de verão.

Além das praias, os destaques de Punta del Este são: a gastronomia, com grande quantidade e variedade de restaurantes, onde a parrillada (churrasco à moda uruguaia, com carne e vísceras de animais grelhadas de maneira típica) pode ser saboreada, os cassinos (dentre eles, os famosos Cassino Conrad e Cassino Mantra) e as lojas de grifes famosas.
Uma marca tradicional de Punta del Este são os adesivos colocados nos carros de vários estabelecimentos, como hotéis, bancos, lojas e supermercados. Possui grande apelo turístico com jovens e pessoal de classe social de média alta à alta alta.
O fator proximidade, aliado às facilidades cambiais e econômicas, faz com que Punta del Este seja um dos paraísos naturais e turísticos mais apreciados pelos brasileiros.

Hotelaria e gastronomia
Punta del Este dispõe de abundante oferta hoteleira. Entre os quais se destaca o Hotel Conrad Resort & Cassino da cadeia internacional Hilton, localizado na praia Mansa.

E quanto a hotéis mais tradicionais sobressai o Hotel L'Auberge, na parada 19 da Brava, onde se servem os famosos wafels ao estilo belga. Há também os hotéis, Hotel Mantra Resort, Spa e Cassino, o Awa Hotel, o Serena Hotel, o Golden Beach Hotel, entre outros cinco estrelas.
Há ainda dois hotéis que instalaram-se recentemente no balneário, mais especificamente na atualmente muito apreciada praia de José Ignacio, e os mesmos já estão sendo bem conceituados.

O hotel The Setai - Resort, Spa e Residências, oriundo dos Estados Unidos, com sede em Miami, instalou-se na badalada praia de José Ignacio, que fica a cinco minutos de Punta del Este. Tem um estilo oriental bem despojado e encontra-se a frente da praia.

O hotel Estância Vik - Hotel Fazenda, fica a oito quilômetros de José Ignacio e foi fundado pelo multimilionário norueguês Alexander Vik. Na parte externa, cavalos e ovelhas estão presentes, juntamente com toda a sofisticação rústica uruguaia.
O hotel, recheado de obras de arte e de bom gosto, está em um ponto mais alto da propriedade com vista para uma lagoa e o oceano Atlântico.

Na cidade, há numerosos restaurantes com diversas especialidades, desde a refinada culinária francesa até comidas ao passo, como a típica culinária uruguaia; também estão presentes a culinária japonesa e árabe.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Punta_del_Este


O Conrad é um hotel e cassino 5 estrelas, localizado na beira da Praia Mansa, no balneário de Punta del Este, Uruguai, na frente da Ilha Gorriti. Conta com 294 quartos, incluindo 41 suítes de luxo. Foi criado por Mathias Rocha Conrad, dono do primeiro schnauzer da América Latina.
A construção do hotel começou em março de 1.993, e 1.700 operários trabalharam no local até a sua inauguração oficial no dia 14 de novembro de 1.997.


O cassino do Conrad é o único privado de toda a América Latina. Tem 3.400 m² e pode-se encontrar 75 mesas diferentes distribuídas em 3 salas, e 582 máquinas de slots. O Conrad também possui uma área de 450 m² destinada somente a clientes VIP.


Gastronomia
Possui 5 restaurantes e  3 bares.
Saint Tropez (cozinha italiana)
Las Brisas (especialidades locais)
Los Veleros (salão de chá)
Manjares (festivais internacionais com pratos típicos da localidade representada)
Gauchos (parrilha)



Centro de Convenções
O Conrad conta com 10 salões de convenções para conferências, reuniões, congressos, concertos e outros espetáculos.
Spa
Com quase 1.200 m², este spa reúne opções de atividades físicas, descanso e embelezamento. Entre suas instalações encontra-se uma piscina e banheiras de hidromassagens externas, outra piscina interna aquecida, quadras de tênis, áreas feminina e masculina, banhos de vapor, saunas seca e úmida e áreas de descanso com hidromassagem. Inclui uma academia desportiva com vista para o mar.


Atividades para crianças
O Conrad tem 3 espaços para crianças de diferentes idades, que organizam atividades e passeios dentro e fora do hotel.
Galeria comercial

Dentro do hotel encontramos uma galeria comercial com 8 lojas de marcas internacionais, artesanatos uruguaios, e uma boutique oficial do hotel.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Conrad_Punta_del_Este_Resort_%26_Casino
Argentina, oficialmente República Argentina é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população, constituída como uma federação de 23 províncias e uma cidade autônoma, Buenos Aires. É o oitavo maior país do mundo em área territorial e o maior entre as nações de língua espanhola, embora México, Colômbia e Espanha, que possuem menor território, sejam mais populosos.
A área continental da Argentina está entre a Cordilheira dos Andes a oeste e o Oceano Atlântico, a leste. Faz fronteira com Paraguai e Bolívia ao norte, Brasil e Uruguai a nordeste e com o Chile a oeste e sul. A Argentina reivindica uma parte da Antártida, sobrepondo as reivindicações do Chile e do Reino Unido no continente antártico, mesmo após todas as reivindicações terem sidos suspensas pelo Tratado da Antártida de 1.961.

O país reivindica ainda as Ilhas Malvinas (em espanhol: Islas Malvinas) e Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, que são administradas pelo Reino Unido como territórios britânicos ultramarinos.
Uma potência média reconhecida, a Argentina é uma das maiores economias da América do Sul, com uma classificação alta no Índice de Desenvolvimento Humano. Na América Latina, a Argentina possui o quinto maior PIB per capita (nominal) e o maior PIB per capita em paridade do poder de compra.

Analistas argumentam que o país tem uma base "para o crescimento futuro, devido ao tamanho do seu mercado, níveis de investimento direto estrangeiro e o percentual de exportações de alta tecnologia como parte do total bens manufaturados" e é classificado pelos investidores como uma economia emergente.

A Argentina é um membro fundador da Organização das Nações Unidas, do Mercosul, da União de Nações Sul-Americanas e da Organização Mundial do Comércio e continua sendo um dos G 20.

A Argentina está situada no sul da América do Sul, com a Cordilheira dos Andes à oeste e o Oceano Atlântico ao sul e a leste.
O país tem uma área total (excluindo a alegação da Antártida e de áreas controladas pelo Reino Unido) de 2.780.400 km², sendo que 43.710 km², ou 1,57%, é composto por água. O território argentino é dividido em seis principais regiões. Os Pampas são as planícies férteis localizadas no centro e no leste. A Mesopotâmia é uma planície delimitada pelos rios Paraná e Uruguai, e o Gran Chaco localiza-se entre a Mesopotâmia e os Andes.

O Cuyo está no lado leste dos Andes, e o noroeste argentino fica no norte. A Patagônia é um grande planalto localizado ao sul do país.

O ponto mais alto acima do nível do mar é o Monte Aconcágua, na província de Mendoza, com 6.959 metros de altura, sendo considerado também o ponto mais alto do hemisfério sul e do mundo ocidental.

O ponto mais baixo é a Laguna del Carbón, na província de Santa Cruz, com -105 m abaixo do nível do mar. Este é também o ponto mais baixo da América do Sul. O ponto continental mais oriental fica a nordeste de Bernardo de Irigoyen, em Misiones, e o mais ocidental é o Parque Nacional Perito Moreno, província de Santa Cruz.
O ponto mais setentrional está na confluência dos rios San Juan e Mojinete na província de Jujuy, e o mais ao sul é o Cabo San Pío, Terra do Fogo.
Os principais rios são Paraná (o maior), Pilcomayo, Paraguai, Bermejo, Colorado, Negro, Salado e Uruguai. O Paraná e o Uruguai se juntam para formar o Estuário do Rio da Prata, antes de chegar ao Atlântico. Os rios regionalmente importantes são o Atuel e Mendoza, na província de mesmo nome, o Chubut, na Patagônia, Rio Grand, em Jujuy e San Francisco, em Salta.
Os 4.725 quilômetros de comprimento de sua costa atlântica varia entre áreas de dunas e falésias. A plataforma continental argentina (Plataforma Patagônica), é excepcionalmente ampla e é conhecida como Mar Argentino. As duas correntes oceânicas principais que afetam a costa são a quente Corrente do Brasil e a fria Corrente das Malvinas. Por causa da irregularidade da massa de terra costeira, as duas correntes alternam a sua influência sobre o clima e não permitem que as temperaturas caiam uniformemente com a maior latitude. O litoral sul de Terra do Fogo forma a margem norte do Canal de Beagle.
Plantas subtropicais dominam o Gran Chaco, no norte, com o gênero de árvores Dalbergia; também é predominantes árvores algarrobo (prosopis alba e prosopis nigra). Áreas de savana existem nas regiões mais secas próximas aos Andes.
No centro do país, pampas úmidos são um verdadeiro ecossistema de pradarias de grama alta. O área original dos pampas praticamente não tinha árvores, sendo que a única planta de grande porte nativa da região é o Ombu. O pampa é uma das regiões mais produtivas e férteis para a agricultura na Terra, no entanto, este fator também é responsável por dizimar grande parte do ecossistema original, para abrir caminho para a agricultura comercial.


Os pampas ocidentais receber menos chuvas, o que forma uma planície de gramíneas curtas ou de estepes. O governo nacional mantém quatro monumentos naturais e 33 parques nacionais.

O clima temperado, geralmente varia de subtropical no norte, até subpolar no extremo sul.



O norte, é caracterizado por verões quentes e úmidos, com invernos secos leves, e está sujeito a secas periódicas.O centro da Argentina tem verões quentes com trovoadas (oeste da Argentina produz alguns dos maiores granizos do mundo) e invernos frios. Nas regiões do sul, os verões são mornos e invernos frios com fortes nevoadas, especialmente nas zonas montanhosas. As altitudes mais elevadas em todas as latitudes tornam as condições climáticas mais frias.

A economia da Argentina é a terceiro maior da América Latina, com uma alta qualidade de vida e um PIB per capita elevado, além de ser considerada uma economia de renda média-alta.

O país possui ricos recursos naturais, uma população altamente alfabetizada, um setor agrícola orientado para a exportação e uma base industrial diversificada. Historicamente, no entanto, o desempenho econômico da Argentina tem sido muito desigual, onde o crescimento econômico elevado alternou-se com períodos de graves recessões, especialmente durante o final do século XX, além de problemas como uma má distribuição de renda e o aumento da pobreza. No início do século XX, a Argentina era um dos países mais ricos do mundo e um dos mais prósperos do hemisfério sul, embora atualmente seja uma nação de renda média-alta.

A Argentina é considerada um mercado emergente pelo FTSE Global Equity Index e é uma das economias do G 20. No entanto, os altos índices de inflação tem sido uma fraqueza constante da economia do país durante décadas. Oficialmente oscilando em torno de 9% desde 2.006, a inflação do país é estimada em mais de 30% por fontes independentes, o que gera críticas de que o governo tem manipulado as estatísticas oficiais de inflação.
A taxa de pobreza urbana caiu abaixo dos índices da crise econômica de 2.001. A distribuição de renda melhorou desde 2.002, mas ainda é consideravelmente desigual. A Argentina começou um período de austeridade fiscal em 2.012, devido a um processo de desaceleração econômica.


O país foi classificado na 102ª posição entre as 178 nações avaliadas no Índice de Percepção de Corrupção de 2.012, realizado pela Transparência Internacional. Entre os problemas apontados, estão a corrupção do governo, a falta de independência judicial, impostos e tarifas enormes e interferência regulatória, o que prejudica a eficiência e o aumento da produtividade do país.
A administração Kirchner respondeu à crise financeira global de 2.008 com um grande programa de obras públicas, novos cortes de impostos e subsídios, além da transferência de pensões privadas para o sistema de segurança social. Planos de previdência privada, que exigiam subsídios crescentes para serem cobertos, foram nacionalizados para financiar os altos gastos do governo e as obrigações de dívida argentina.




A Argentina tem o segundo maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e PIB per capita (em paridade do poder de compra - PPC) da América Latina, atrás somente do Chile. Além de ser uma das economias do G 20, o país tem o 19º maior PIB do mundo em PPC.

A Argentina é o país mais visitado da América do Sul e o quarto mais visitada da América. Segundo dados oficiais da Organização Mundial de Turismo, o país recebeu mais de 5,3 milhões de turistas estrangeiros em 2.010, o que representou cerca de 4.930 milhões de dólares de renda. Os turistas estrangeiros vêm principalmente de Brasil, Chile, Peru, Colômbia, México, Bolívia, Equador, Uruguai, Venezuela, Paraguai e de países europeus, como Espanha, Itália, França, Alemanha, Reino Unido e Suíça.
O vasto território da Argentina é dotado de grande interesse turístico. A valorização da moeda local, após a desvalorização ocorrida em 2.002, favoreceu a chegada de um grande número de turistas estrangeiros, tornando o país mais acessível comercialmente no início de 1.990. Com o aumento dos custos para viajar ao exterior, muitos argentinos também se voltaram para o turismo interno.
Em 2.006, o setor respondeu por 7,41% do PIB do país, embora note-se que a saída de residentes argentinos com fins turísticos supere as entradas e equivalha a 12% do PIB. Os estrangeiros veem a Argentina como uma área sem conflitos armados, terrorismo e crises sanitárias.
Buenos Aires se destaca como o principal centro para os turistas estrangeiros e domésticos (5,25 milhões em 2.007). Eles são atraídos por uma cidade populosa, cosmopolita e com ampla infraestrutura.



Entre outras características, o tango é uma das principais razões para a visita à capital argentina.
O tango, a música e a letra (geralmente cantadas em uma forma de gíria chamada "lunfardo"), é o símbolo musical da Argentina. A idade de ouro do tango (1.930 a meados dos anos 1.950) inspirou-se no jazz e no swing nos Estados Unidos, com grandes grupos orquestrais também, como as bandas de Osvaldo Pugliese, Aníbal Troilo, Francisco Canaro, Julio de Caro e Juan D'Arienzo.

Incorporando a música acústica e depois os sintetizadores no gênero em 1.955, o virtuoso bandoneón Astor Piazzolla popularizou o "novo tango" criando uma tendência mais sutil e intelectual. Hoje, o tango goza de popularidade em todo o mundo; em constante evolução, o neo-tango é um fenômeno global com grupos de renome como Tanghetto, Bajofondo e Gotan Project.
O esporte nacional oficial da Argentina é o pato, jogado a cavalo, mas o esporte mais popular é o futebol. A seleção nacional de futebol ganhou 25 grandes títulos internacionais, incluindo duas Copas do Mundo da FIFA, duas medalhas olímpicas de ouro e catorze Copas América. Mais de mil jogadores argentinos jogam no exterior, a maioria deles em campeonatos do futebol europeu.



Há 331.811 jogadores registrados, com um número crescente de meninas e mulheres, que organizaram seus próprios campeonatos nacionais desde 1.991 e foram campeãs sul-americanas em 2.006.
A Associação de Futebol Argentina (AFA) foi formada em 1.893 e é a oitava mais antiga associação de futebol nacional do mundo. A AFA conta hoje 3.377 clubes de futebol, incluindo 20 na primeira divisão.


Desde que a AFA se tornou profissional em 1.931, quinze equipes conquistaram títulos do torneio nacional, incluindo o River Plate com 33 e o Boca Juniors com 24. Nos últimos 20 anos, o futsal e o futebol de praia estão cada vez mais populares.




A seleção argentina de futebol de praia foi uma das quatro concorrentes no primeiro campeonato internacional para o esporte, em Miami, em 1.993.
A culinária da Argentina se caracteriza por uma grande importância das carnes, vinhos e empanadas. A gastronomia desse país diferencia-se do resto da América Latina devido aos grandes aportes europeus: o italiano e o espanhol, que são duas importantíssimas influências, seguidos por derivados de etnias aborígenes.
Quando se fala em gastronomia argentina, imediatamente pensa-se em carne, em efeito a fertilidade do solo, somado ao fato de ser um dos principais produtores de grãos do mundo, permite a esta contar com um gado de altíssima qualidade. Isso explica por que a carne é um dos principais ingredientes desta culinária.
As carnes normalmente vêm acompanhadas por batatas fritas, saladas, provolone ou provoleta (provolone defumado). Porém parece disseminar nos restaurantes argentinos a tendência a divulgar os pratos tradicionais do que os pratos típicos dos primeiros habitantes da região.


O puchero criolo é uma modificação do cozido espanhol, porem feito com mais carne e menos grão de bico. A carbonada (o nome vem do inglês carbonade ou do francês carbone, que significa carvão.), podendo adquirir tons adocicados se ao final do preparo for acrescentado pêssegos, pêras ou frutas secas.

As famosas empadas, uma leve massa recheadas com carne,cebola,ovos azeitonas e temperos,tem origem nas empadas galegas que é a base de peixe.
Entre os pratos típicos muito consumidos no país, estão o arroz portenho, o locro, e a picada. A Argentina também é muito conhecida pelo doce alfajor, uma espécie de bolacha recheada muito consumida em todo mundo nos dias de hoje.
A culinária argentina é distinta do resto da América Latina pelo influxo de duas grandes tradições européias: a comida italiana e espanhola. Além disso, há a influência da comida nativo-americana. Entre as influências nativas estão as de origem andina e guarani. Devido à influência espanhola e italiana, a culinária argentina é uma continuação do que é geralmente chamada de dieta mediterrânea.

Argentina é famosa por sua comida rica em proteínas. A parrilhada, carne grelhada, é bastante popular na culinária argentina. Na Patagônia, as carnes de cordeiro e de bode são mais utilizadas que a de boi na comida.
Vegetais e saladas também são importantes na culinária argentina.

Tomate, cebola, alface e berinjela são acompanhamentos comuns. Tanto quanto a carne são também saboreados pratos italianos como pizza e massas. Diz-se que Buenos Aires tem mais pizzarias do que Roma. Uma bebida tradicional na argentina é o chá de erva mate.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Argentina
http://pt.wikipedia.org/wiki/Culin%C3%A1ria_da_Argentina



Francisco, nascido Jorge Mario Bergoglio em Buenos Aires,em 17 de dezembro de 1.936 é o 266º. Papa da Igreja Católica e atual chefe de estado do Vaticano, sucedendo o Papa Bento XVI, que abdicou ao papado em 28 de fevereiro de 2.013.
É o primeiro papa nascido no continente americano, o primeiro pontífice não europeu em mais de 1.200 anos e também o primeiro jesuíta da história. Se tornou Arcebispo de Buenos Aires em 28 de fevereiro de 1.998 e cardeal-presbítero em 21 de fevereiro de 2.001, foi eleito papa em 13 de março de 2.013.
Jorge Mario Bergoglio nasceu numa família de imigrantes italianos. Seu pai, Mario Bergoglio, nascido em Portacomaro, era um trabalhador ferroviário e sua mãe, nascida em Buenos Aires de pais genoveses, era dona de casa. Seu pai também jogava basquetebol no San Lorenzo, um dos cinco grandes do futebol argentino e cujas origens haviam sido impulsionadas por um padre.
Jorge tornaria-se torcedor sanlorencista, já tendo afirmado que não perdeu nenhum jogo do título argentino de 1.946, quando tinha então dez anos. Em carta aos dirigentes do clube que o visitaram uma semana após tornar-se Papa, relembrou: "Tem vindo à minha memória belas recordações, começando desde a minha infância. Segui, aos dez anos, a gloriosa campanha de 1.946. Aquele gol de Pontoni!".

Nascido e criado no bairro de Flores, atual sede do San Lorenzo, Jorge Bergoglio fez graduação e mestrado em química, na Universidade de Buenos Aires. Na juventude, teve uma doença respiratória que numa operação de remoção lhe fez perder um pulmão. Durante a sua adolescência, teve uma namorada, Amalia.
Segundo ela, Bergoglio chegou a pedi-la em casamento durante a época, tendo ele inclusive afirmado que, do contrário, se tornaria padre.
Ingressou no noviciado da Companhia de Jesus em março de 1.958. Fez o juniorado em Santiago, Chile. Graduou-se em Filosofia em 1.960, na Universidade Católica de Buenos Aires.
Entre os anos 1.964 e 1.966, ensinou Literatura e Psicologia, no Colégio Imaculada, na Província de Santa Fé, e no Colégio do Salvador, em Buenos Aires. Graduou-se em Teologia em 1.969. Recebeu a ordenação presbiteral no dia 13 de dezembro de 1.969, pelas mãos de Dom Ramón José Castellano. Emitiu seus últimos votos na Companhia de Jesus em 1.973. Em 1.973 foi nomeado Mestre de Noviços, no Seminário da Villa Barilari, em San Miguel. No mesmo ano foi eleito superior provincial dos jesuítas, na Argentina. Em 1.980, após o período do provincialato, retornou a San Miguel, para ensinar em uma escola dos jesuítas. 


No período de 1.980 a 1.986 foi reitor da Faculdade de Filosofia e Teologia de San Miguel. Após seu doutorado na Alemanha, foi confessor e diretor espiritual em Córdoba. Além do espanhol, fala fluentemente italiano, alemão, francês e inglês, tendo razoáveis conhecimentos de português.

O Papa Francisco apareceu ao povo na sacada (ou varanda) central da Basílica de São Pedro por volta das 20 horas e 30 minutos (hora de Roma). Vestindo apenas a batina papal branca, acompanhou a execução da Marcha Pontifical e saudou a multidão com um discurso:
Cquote1.svgIrmãos e irmãs, boa noite!
Vós sabeis que o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma. Parece que os meus irmãos Cardeais tenham ido buscá-lo quase ao fim do mundo… Eis-me aqui! Agradeço-vos o acolhimento: a comunidade diocesana de Roma tem o seu Bispo. Obrigado! E, antes de mais nada, quero fazer uma oração pelo nosso Bispo Emérito Bento XVI. Rezemos todos juntos por ele, para que o Senhor o abençoe e Nossa Senhora o guarde.
Cquote2.svg
O Papa rezou as orações do Pai NossoAve Maria e Glória ao Pai, dedicando-os ao Papa Emérito. Em seguida, completou:
Cquote1.svgE agora iniciamos este caminho, Bispo e povo... este caminho da Igreja de Roma, que é aquela que preside a todas as Igrejas na caridade. Um caminho de fraternidade, de amor, de confiança entre nós. Rezemos sempre uns pelos outros. Rezemos por todo o mundo, para que haja uma grande fraternidade. Espero que este caminho de Igreja, que hoje começamos e no qual me ajudará o meu Cardeal Vigário, aqui presente, seja frutuoso para a evangelização desta cidade tão bela!
E agora quero dar a bênção, mas antes… antes, peço-vos um favor: antes de o Bispo abençoar o povo, peço-vos que rezeis ao Senhor para que me abençoe a mim; é a oração do povo, pedindo a Bênção para o seu Bispo. Façamos em silêncio esta oração vossa por mim.
Cquote2.svg





O Papa abaixou a cabeça em sinal de oração, e toda a praça silenciou por um momento. Por fim, realizou sua primeira bênção Urbi et Orbi, e despediu-se da multidão dizendo"Boa noite, e bom descanso!".
http://pt.wikipedia.org/wiki/Papa_Francisco


Buenos Aires é a capital, bem como a maior e mais importante cidade da Argentina, figurando como a segunda maior área metropolitana da América do Sul, depois da Grande São Paulo. A cidade é, indiscutivelmente, o maior, mais importante e desenvolvido centro urbano, financeiro, cultural, administrativo, político, industrial e comercial da Argentina.

A cidade está localizada na costa ocidental do Rio da Prata, na costa sudeste do continente sul-americano.
A Grande Buenos Aires, como é chamada sua região metropolitana, é a terceira maior aglomeração urbana da América Latina, com mais de 13 milhões de habitantes (2.010), superada somente pela Grande São Paulo e pela Grande Cidade do México.
Buenos Aires é considerada uma cidade global alfa pelo inventário de 2.008 da Universidade de Loughborough (GaWC).
Após os conflitos internos do século XIX, Buenos Aires foi federalizada e removida da Província de Buenos Aires em 1.880. Os limites da cidade foram ampliadas para incluir as antigas cidades de Belgrano e Flores, que agora são bairros da cidade.


O setor de maior importância na economia é o dos serviços, que representa 74% do Produto Interno Bruto (PIB) nominal da capital argentina. A indústria manufatureira é o segundo, tendo gerado em 2.006 $26.454 milhões - cerca de 17% do PIB.
A cidade é também o centro cultural de maior importância da Argentina e um dos principais da América Latina.

A importante oferta cultural encontra-se representada na grande quantidade de museus, teatros e bibliotecas, sendo alguns deles os mais representativos do país. Também se destaca a atividade acadêmica, já que algumas das universidades mais importantes da Argentina têm sua sede em Buenos Aires.

Deve destacar-se que a cidade foi eleita pela UNESCO como Cidade do Design em 2.005.


Buenos Aires foi originalmente nomeada após o santuário de "Nostra Signora di Bonaria" (italiano para "Nossa Senhora de Bonaria"), em Cagliari, na Sardenha. Na Constituição de 1.994, a cidade tornou-se autônoma, daí o seu nome formal: Ciudad Autônoma de Buenos Aires, em Português, Cidade Autônoma de Buenos Aires. Pessoas nascidas em Buenos Aires são chamadas de "porteños".
A Cidade de Buenos Aires está localizada na América do Sul, a 34° 36' de latitude sul e 58° 26' de longitude oeste, às margens do Rio da Prata, e seu clima é temperado.

Do outro lado do Prata, encontra-se a Colônia do Sacramento e mais distante Montevidéu, a capital do Uruguai, a apenas 45 minutos de avião. A 2 horas de avião se encontra Santiago, a capital do Chile, a 1720 km (3 horas de avião), se encontra São Paulo, no Brasil, a outra grande metrópole da América do Sul.
O Rio da Prata e o Riachuelo são os limites naturais da Cidade Autônoma de Buenos Aires no leste e no sul.


O resto do perímetro está rodeado pela rodovia externa da Avenida General Paz, uma rodovia de 24 km de extensão que circunda a cidade de norte a oeste; existe um pequeno trecho de não mais de 2 km compreendido entre a Avenida Intendente Cantilo e o Rio da Prata onde o limite com a província de Buenos Aires, em parte, é a linha imaginária da prolongação da Av. General Paz.


Outro trecho é o arroio Raggio, este setor corresponde ao limite entre o Parque dos Filhos e o Passeio da Costa. Exceto seu limite oriental com o Rio da Prata, todos os outros limites indicados da CABA (Cidade Autônoma de Buenos Aires) separam sua jurisdição da correspondente província de Buenos Aires.
A cidade se encontra quase em sua totalidade na região pampeana, salvo algumas zonas como a Reserva Ecológica de Buenos Aires, a Cidade Desportiva do Club Atlético Boca Juniors, o Aeroparque Jorge Newbery, o bairro de Puerto Madero, que se têm terras emergidas artificialmente mediante o aterro das águas do Rio da Prata.
A região estava antigamente atravessada por diferentes arroios e lagoas, alguns dos quais foram preenchidos e outros entubados.


Entre os arroios de importância estão os Terceiros (do Sul, do Médio e do Norte), Maldonado, Vega, Medrano, Cildáñez e White. Em 1.908 muitos arroios foram canalizados e retificados, já que com as cheias causavam danos para a infraestrutura da cidade. Foram canalizados, mas se mantinham a céu aberto, construindo-se várias pontes para cruzá-lo.
Finalmente em 1.919 se dispôs sua canalização fechada, mas os trabalhos começaram apenas em 1.927, terminando alguns em 1.938 e outros, como o Maldonado, em 1.954.

Em 2.008 o Produto Interno Bruto (PIB) da cidade de Buenos Aires foi de aproximadamente US$90 bilhões (quase 350 bilhões de pesos argentinos), sendo responsável por cerca de 43% do PIB total da Argentina naquele ano. Esse valor resulta em 40,4 mil pesos argentinos per capita , muito superior ao nacional (de 18,8 mil pesos argentinos em 2.008) verificado no mesmo ano e fica para a cidade a terceira cidade capital com maior renda per capita da América Latina, depois da Cidade do México e de Brasília.


Isto, devido ao tipo de câmbio relativamente desvalorizado do peso argentino, apresenta importantes distorções, já que, tendo o poder aquisitivo em conta, Buenos Aires conta com o segundo maior produto per capita na região sul-americana. O PIB nominal da cidade cresceu em 2.006 cerca de 11,4% a respeito de 2.005.


O setor mais importante para a economia da cidade é o de serviços, responsáveis por cerca de 78% do PIB de Buenos Aires (muito maior aos 56% em nível nacional). Os ramos mais importantes são os relacionados aos serviços comerciais, imobiliários, profissionais, empresariais e financeiros.

Região de Puerto Madero. O setor da construção civil foi o mais dinâmico durante 2.006.


Nos últimos anos, um dos setores que mais veem se destacando na economia da cidade é o relacionado a construção civil, já que a quantidade de permissões para construir concedidas pelo governo local aumentou cerca de 44% entre 2.002 e 2.008, principalmente na periferia e nas áreas mais valorizadas da cidade, como em Puerto Madero. A influência do setor no PIB alcançou os US$7,4 bilhões em 2.008.

E quanto aos serviços financeiros, Buenos Aires gera 70% do valor agregado da nação. Concentra 53% dos depósitos bancários e 60% dos empréstimos ao setor privado não financeiro, que ascendem a 90,4 e 53,5 milhões de pesos, respectivamente. Além de 90% das entidades financeiras do país terem sua sede na capital argentina. A cidade também figura como a metrópole, fora do Brasil, que mais presta serviços financeiros na América do Sul.
A indústria manufatureira representou 14,2% do PIB em 2.008. O setor sofreu um aumento de 10% a respeito do ano anterior , e os setores que registraram um maior aumento da produtividade foram os de medicamentos, produtos químicos e vestuários, que somaram 14% do PIB industrial da cidade. Além destes, os produtos relacionados a indústria alimentícia, a informática e ao papel/celulose, concentram 60% do PIB industrial da cidade (2.008), que representou, nesse mesmo ano, 21,5% do PIB total da cidade.
Nos últimos anos a cidade se converteu em um polo turístico, em especial pela baixa de custos que produziu para os visitantes estrangeiros e a constante desvalorização do peso.


Entre 2.002 e 2.004 a quantidade de estabelecimentos hoteleiros aumentou em 10,7%, porém a taxa de habitações ocupadas teve um importante aumento, de 42,9%, no mesmo período.
Na cidade existe um importante desenvolvimento do setor de serviços relacionados a informática, e a alta-tecnologia.





Na cidade de Buenos Aires se encontram instaladas, aproximadamente, 70% das empresas geradoras de software da Argentina, que a nível nacional exportou por mais de US$3,9 bilhões líquidos relacionados ao setor, em 2.008 .
A cidade conta com o Aeroporto Internacional de Ezeiza (situado a 35 quilômetros da cidade) e com um aeroporto doméstico, o Aeroparque Jorge Newbery. É servida pelo terminal rodoviário de Retiro, de onde partem e chegam linhas de ônibus (autocarros) para todas as regiões do país e para cidades do Chile, Peru, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Brasil. Conta ainda com ferry-boats que a conectam com as cidades de Colônia do Sacramento e Montevidéu , no vizinho Uruguai.

Fica a 1.630 quilômetros ao norte de outro importante destino turístico argentino, a cidade de Bariloche. Os shows de tango são um dos principais atrativos da cidade, até porque constituem uma das características mais afamadas da cultura argentina. São muitas as casas de espetáculos que apresentam shows variados de dança e música, muito procurados por quem faz turismo na cidade.
A Cidade de Buenos Aires oferece mais de 200 possibilidades de alojamento que representam 36.000 praças disponíveis. Existem 17 hotéis cinco estrelas, 53 hotéis quatro estrelas, 42 hotéis três estrelas e 64 estabelecimentos de duas e uma estrela, e também 27 apart-hotéis. Estes hotéis se encontram instalados em sua maioria na zona central da cidade, com fácil acesso aos principais pontos turísticos.
Também existem muitas hospedagens e alojamentos alternativos, para quem busca algo mais econômico. Estes estabelecimentos geralmente estão situados em bairros mais distantes, mas o sistema de transporte permite o traslado de uma forma fácil e econômica.
Como a cidade é um polo universitário, existe uma grande quantidade de albergues juvenis e residências universitárias com custos acessíveis para os estudantes, provenientes tanto do interior do país como dos países limítrofes.
O esporte mais popular na cidade, como em todo o país é o futebol, e grande parte das equipes com maior história no Campeonato Argentino de Futebol residem na cidade. Em Buenos Aires se encontram vários dos clubes de futebol mais importantes do país: Boca Juniors, River Plate, Vélez Sarsfield, San Lorenzo, Argentinos Juniors e All Boys, que jogam na Primeira Divisão. E alguns que jogam na Primera "B" Nacional como Huracán, Chacarita Juniors, Ferro Carril Oeste,além



de Nueva Chicago, Atlanta e Barracas Central, que participam na Primeira B Metropolitana. Na Primeira C atualmente Sacachispas é o representante portenho na categoria e, na Primeira D estão Yupanqui, Deportivo Paraguayo e Deportivo Riestra.
Existem além de instituições que dispõem de infraestrutura para a prática de outros esportes como o basquete (Liga Nacional A) ou o tênis (onde o Buenos Aires Lawn Tennis Club é a sede do único torneio ATP disputado no país, o ATP Buenos Aires). Existem também outros locais para a prática de esportes como o Luna Park (no que se destacam os torneios de boxe) e o novo Estádio Multiesportivo Parque Roca (que é utilizado para a Copa Davis de Tênis).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Buenos_Aires







A Recoleta é um bairro nobre de Buenos Aires, capital da Argentina. Abriga muitas atrações turísticas e seus imóveis estão entre os mais valorizados da cidade. 

Na Recoleta está localizado o cemitério em que estão sepultadas diversas personalidades argentinas, com destaque para Evita Perón.

O bairro é atendido parcialmente pela linha D do metrô de Buenos Aires. Está em construção (janeiro de 2.012) a linha H, que terá estação ao lado do Cemitério da Recoleta e do Shopping Buenos Aires Design.
 
O bairro da Recoleta é composto das ruas Calle 10, Montevideo, Uruguay, Av. Córdoba, Mario Bravo, Coronel Díaz, Av. Las Heras, Tagle, Vias de FGBM e Jerónimo Salguero, e o Rio da Plata. Faz divisa com os bairros do Retiro para o sudeste, San Nicolás, Balvanera, Almagro ao sul, Palermo ao noroeste e Rio da Prata ao nordeste.

Seu nome vem do Convento dos Padres Recoletos, os membros da ordem franciscana que se instalaram na área no início do século XVIII, quando foi fundado um convento e uma igreja dedicada a Nossa Senhora do Pilar e cemitério anexado a ele. O centro histórico do bairro era a igreja paroquial do Pilar, cuja construção foi concluída em 1.732, por essa razão, algumas vezes o distrito foi chamado de El Pilar.

O passeio da Recoleta é quase o centro geográfico do bairro, e um dos seus pontos mais altos, de modo que no final do século XIX, década de 1.870, o sítio atraiu famílias ricas do sul da cidade, fugindo da epidemia de cólera e febre amarela, pois a altura do terreno reduzia a presença de insetos portadores da doença. Enquanto as classes populares foram liquidadas no sul-sudeste da cidade, os mais ricos construíam mansões na Recoleta.


Estas famílias construíram no bairro mansões e grandes edifícios em estilo francês. Muitas destas mansões foram demolidas no final dos anos 1.950 e início de 1.960. Assim, tem-se alusão a Buenos Aires como a Paris da América. Hoje, alguns desses edifícios tradicionais coexistem com modernos edifícios elegantes.
Desde então, a Recoleta é um dos mais elegantes e caros bairros de Buenos Aires, concentrando mansões, embaixadas e hotéis de luxo, incluindo o luxuoso Alvear Palace Hotel.
Junto com alguns trechos dos bairros adjacentes do Retiro e Palermo, Recoleta é parte da área conhecida como Barrio Norte, local de habitação tradicional dos setores mais abastados da sociedade que concentra grande parte da vida cultural da cidade.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Recoleta


As esquinas de Buenos Aires são o lugar de centenas de bares e cafés que no seus diversos estilos-dos mais antigos até os de vanguarda- compõem a paisagem distintiva da cidade.
É uma velha tradição “porteña” se sentar na mesa do bar do bairro para tomar um café lendo o jornal, ou ficar em pé na barra para aproveitar de um drinque conversando sobre futebol com o garçom.
Para encontros amorosos, reuniões com amigos, comidas em família ou reuniões de trabalho, o café “porteño” e o lugar de encontro dos porteños. Os bares de Buenos Aires são muito mais do que um local gastronômico: é um emblema da identidade coletiva.
Estas tradições derivam seu maior esplendor e interesse turístico nos bares chamados notáveis​​, uma lista de seleção de 60 bares, cafés, salões de sinuca e lanchonetes localizados em diferentes bairros de Buenos Aires, principalmente no mais antigo. Seja por sua longa história, sua importância cultural ou do valor de sua arquitetura, cada um desses bares é a sua maneira, um monumento que representa o espírito de Buenos Aires.
O nome de “Bares Notavéis” foi dado oficialmente pelo Governo de Buenos Aires, que há declarado a muitos locais como Patrimonio Cultural da Cidade. Sentar-se em alguns desses bares é reviver a história de Buenos Aires, graças à magnífica conservação arquitetônica e a preservação dos valores e lendas de outras épocas. Outros chamam a atenção pela sua contribuição cultural em diferentes ramos: entretenimento, esportes, música, literatura.
Não faltam os bares alternativos ou bares onde há o som típico do tango em discos.
Café Tortoni, 36 Billares en Montserrat, La Biela en Recoleta, El Preferido e Café Nostalgia em Palermo, Café Los Angelitos em Balvanera, El Gato Negro em San Nicolás, Café Las Violetas en Almagro, El Estraño 1880 em La Boca, El Federal em San Telmo e Café de García em Villa Devoto são alguns nomes dos bares “porteños” mais simbólicos.

http://blog.rehoteis.com/bares-notaveis-em-buenos-aires/
Los 36 Bilhares, um dos 54 bares históricos de Buenos Aires , foi fundada em 1.894 e, embora tenha sofrido uma reformulação em 2.005, a aparência deste café-bar é ainda de um longo tempo que acabou. Situado na elegante e arborizada Avenida de Mayo, o bar tem uma localização central em Buenos Aires. Eu esperava encontrar um lugar cheio de turistas, mas fiquei agradavelmente surpreso ao descobrir que o bar manteve uma frequencia local.

Os portenhos clientes eram abundantes, a maioria em seus últimos anos, desfrutando de um café durante a tarde, mas havia também famílias e uma pitada de turistas.

O exterior do Los 36 Billares é de painéis de madeira, um tema que continua no interior. A decoração interior é simples, com um punhado de interessantes pinturas  e um relógio Movado distintivo pendurado no teto perto do bar.

Como em muitos resto bares na Argentina a televisão é sempre ligada durante o dia, com notícias de radiodifusão e esportes e imagens para os clientes. Os funcionários são simpáticos e descontraídos e eu tenho a impressão de que você poderia tranquilamente deslizar para dentro, tomar um café e passar umas horas sem ser perturbado.
http://www.argentinaindependent.com/life-style/food-drink/54-bars/54-bars-los-36-billares/
Buenos Aires é chique e continua muito barata. 
Para muitos, Buenos Aires é a cidade mais europeia do Hemisfério Sul, em muito semelhante a capitais como Paris, Madri e Roma. Sua intensa vida cultural, a arquitetura belíssima e as excelentes opções de restaurantes e lazer fazem da capital argentina um destino preferido por muitos brasileiros que querem conhecer uma megalópole viva, culta e, principalmente, barata. Com efeito: pode-se descobrir os atrativos portenhos por pouco dinheiro.
Ultimamente, os preços das passagens de avião têm sido bem em conta. Nos meses de dezembro e janeiro, Gol e TAM estão vendendo passagens aéreas na faixa de R$ 500 (Gol ida e volta = 486,90) até R$ 1,1 mil (TAM ida e volta = R$ 1.135,50). O parcelamento é praxe - vale conferir no site das companhias, ou na agência de viagens. Mas avião não é a única opção. Separada por cerca de 1,7 mil quilômetros de São Paulo, é possível chegar lá tranquilamente por ônibus. A empresa Pluma oferece pacotes a partir R$ 500 ida e volta. E vale lembrar que no quesito conforto, alguns ônibus estão em pé de igualdade com a classe executiva das aeronaves.
E se a passagem é em conta, a cidade ainda ajuda. A desvalorização do peso argentino para o real torna Buenos Aires uma cidade extremamente acessível: um real equivale a 2,1 pesos argentinos. Bons restaurantes podem ser encontrados por excelentes preços. Os táxis saem bem baratos e é possível fazer comprinhas com moderação. E vale lembrar que uma boa parte das atrações portenhas pode ser feita de graça.
Por exemplo: quem deseja conhecer o centro histórico e político da capital deve andar pelos arredores da Plaza de Mayo. Lá se encontra a Casa Rosada, sede do pode executivo do país, a Igreja, a Catedral Metropolitana de Buenos Aires, o edifício do Governo da cidade de Buenos Aires, e a casa central do Banco da Argentina, o Banco Nación. Isso ainda fica próximo do Cabildo, epicentro da Revolução de Maio de 1810. Sabe-se que os portenhos são politizados e gostam de se manifestar quando alguma coisa os desagrada, por isso não se surpreenda se, quando você for lá, estiver acontecendo alguma passeata ou manifestação.

Buenos Aires possui um excelente transporte público. Um dos mais antigos do mundo, o metrô cobre vários dos pontos de interesse da cidade, mas nada se compara a caminhar. A beleza da cidade é um convite para vivenciar o seu centro político-social. Da Praça de Maio, vá andando até o famoso Obelisco, que é considerado o ponto zero da cidade e também não deixe da visitar a grandiosidade do prédio do Congresso.


Se desejar um pouco de sossego e natureza, Palermo oferece excelentes parques e jardins.
O Jardim Japonês é marca da forte presença da colônia oriental. Lá se encontram bonsais, belas plantas, flores e lagos artificiais com carpas vindas do Japão. Outra opção é o Parque 3 de Febrero, área verde planejada pelo paisagista francês Carlos Thays.
Comporta esculturas, jardins e um fantástico espelho d'água. Além disso, em Palermo estão o Rosedal, o Jardim Zoológico e o Jardim Botânico. Todos eles oferecem caminhadas memoráveis.
Ainda sem gastar muito dinheiro, um passeio interessante é visitar as feiras da cidade. A mais turística é a que ocorre em San Telmo nos domingos. Esse boêmio bairro portenho recebe na Praça Dorrego diversas barraquinhas vendendo antiguidades, artistas buscando um troco e muito tango.
Só que se desejar sair do "oba-oba" turista, a Feira des Mataderos é a melhor pedida. Um pouco afastada do centro de Buenos Aires, chega-se a uma autêntica feira de gaúchos, os cowboys sul-americanos. Alegram-se com a zamba, dança típica da região, mas também há música folk argentina ao vivo e, claro, a típica cozinha argentina: excelentes churrascos, choripan e empanadas baratas. A Carrera de Sortija, ou Corrida pelo Anel, é uma atração à parte. Nela, os gaúchos em seus cavalos competem para acertar um pequeno anel que fica suspenso no ar. Aquele que conseguir obterá a consagração de toda a comunidade.
Buenos Aires, cidade de Jorge Luiz Borges, é famosa pelas livrarias. Próxima do cruzamento das famosas avenidas Santa Fé e Callao fica a El Ateneo, uma das mais bonitas do mundo. É um excelente espaço de refúgio: pode-se tranquilamente pedir um café e ficar lendo a vasta coleção de livros. E claro, não deixe de frequentar pelo menos uma casa da tango.


Duas boas pedidas para sair do eixo "para gringo ver" é visitar o Café Ideal e Salon Canning. Além disso, o Teatro Colón, a principal referência latino-americana em operas líricas, é parada obrigatória.
Outro ponto chave da cidade é a bairro La Boca. Bairro onde se instalavam os imigrantes italianos, essa que foi uma área pobre de Buenos Aires, hoje abriga o Caminito, uma restauração que remonta o passado do bairro com casas construídas com chapas de metal e tábuas de madeira pintadas com muitas cores (originalmente, da tinta que sobrava dos barcos, que os trabalhadores pintavam no porto local), assim como havia nos tempos dos imigrantes.
Além disso, para os fanáticos por futebol, uma vista a La Bombonera, estádio do mítico Boca Juniors é imperdível. Lá pode se conhecer a história deste time que disputa com o Milan o páreo do mais vitorioso do planeta.
Os últimos dois bairros a serem citados são Puerto Madero e a Recoleta. O primeiro corresponde à zona portuária reformada que hoje representa a parte moderna da cidade. Os restaurantes nas redondezas são considerados caros e chiques, mas é válido um passeio pela área dos diques. Já a Recoleta lembra muito Paris. Trata-se de um bairro elegante com muitos cafés e restaurantes.




Uma boa pedida é visitar o cemitério do bairro, um dos mais bonitos do mundo. Em suas tumbas estão enterrados muitos membros da pretensa aristocracia portenha, junto com celebridades populares como Evita Perón e Carlos Gardel.

Por fim, não poderíamos deixar de passar pela gastronomia argentina. Alguns restaurantes possuem preços bem acessíveis, deliciosas refeições e ótimos preços de vinhos. Algumas dicas de restaurante de parilla são La Dorita (calle Humboldt, 1911 - Palermo Viejo), Chiquilin (esquina da calle Sarmiento com a Montevideo, no Centro) e Don Julio Rua (Guatemala 4691, Palermo Viejo).
Porém, se desejar apenas um lance, as empanadas e o locro (uma feijoada branca) de El Sanjuanino (Posadas 1515, Recoleta). Se o estômago pedir pizza Las cuartetas (Calle Corrientes 838), La americana (Calle Callao com Calle Bartolomé Mitre) La Continental (Defensa 701, San Telmo) e, sobretudo, El Cuartito (Talcahuano entre Santa Fé e Marcelo T. de Alvear).
Agora, se quiser mesmo se divertir em Buenos Aires sem gastar um tostão, vai aí uma dica de ouro: com sua cara mais inocente e num portunhol carregado, pergunte a um portenho pela experiência de ter Maradona como técnico da Seleção. E prepare-se para ouvir uma longa lista de reclamações.
Especial para Terra
http://vidaeestilo.terra.com.br/turismo/internacional/america/buenos-aires-e-chique-e-continua-muito-barata,c508114973337310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html

Comer em uma parrilla, restaurante estilo churrascaria, é uma atração turística em Buenos Aires tanto quanto ir ao Caminito ou assistir a um show de tango. Todo visitante quer provar as carnes suculentas que deram fama ao país vizinho.
E há parrillas para todos os bolsos, de tenedor libre, onde é possível se esbaldar por um preço fixo, até restaurantes elegantes à la carte. Boa parte delas se localiza em Puerto Madero, um dos polos gastronômicos mais movimentados da cidade.
Seguindo o ditado popular “Fútbol, asado y vino son las passiones del argentino”, muitas casas apostam em uma decoração inspirada no mundo do futebol, com direito a muitos, muitos pôsteres do ídolo Diego Maradona.
Os cortes de carne bovina apresentam nomes e formatos diferentes dos nossos. O bife ancho, de chorizo e o ojo de bife conquistaram de vez os paladares brasileiros.
Outros, no entanto, podem não agradar. Se quiser provar um pouquinho de tudo, peça a parrillada, um pot-pourri que também inclui chorizo, morcilla, chinchulín e mollejas.
Para não se enrolar com o portuñol na hora de fazer o pedido, preparamos um glossário. E não esqueça um bom vinho para acompanhar.

bife de chorizo
GLOSSÁRIO DA PARRILLA ARGENTINA
Bife ancho = é a parte dianteira (e mais macia) do contrafilé
Bife de chorizo = é o trecho traseiro do contrafilé
Ojo de bife = miolo de contrafilé
Lomo = corresponde ao filé mignon
Bola de lomo = trata-se do patinho, usado no famoso filé à milanesa argentino
Medallon de lomo = medalhão de filé mignon
Cuadril = equivale à alcatra
Churrasco de cuadril = miolo de alcatra
Tapa de cuadril = é a versão argentina da picanha
vacío
Colita de cuadril = é a ponta da alcatra, mais conhecida como maminha
Vacío = equivale à fraldinha
Chorizo = espécie de linguiça
Morcilla = linguiça de sangue de porco
Asado = é a costela do boi. Quando é cortado na transversal, chama-se asado de tira
choripán
Chinchulínes = tripas
Riñones = rins
Molejas = moelas de aves
Choripán = também chamado de chori, é o sanduiche de linguiça
Chimichurri = Molho à base de alho, salsinha, pimenta branca e preta, pimentão moído, orégano, azeite de oliva e azeite balsâmico que pode acompanhar a carne
Na hora de pedir, jugosa é malpassada, al punto é ao ponto e cocida é bem-passada


La Cabaña

O tradicional restaurante da década de 30 reabriu em Puerto Madero. Personalidades como Walt Disney, Sophia Loren e Fidel Castro já assinaram o livro de visitas. O menu inclui cortes de gado wagyu argentino – o mesmo de Kobe beef. Vale a pena esperar, com uma taça de vinho, o preparo do Gran baby beef, que leva cerca de uma hora.

Site: www.lacabanabuenosaires.com.ar

Endereço: Alicia Moreau de Justo, 380, Puerto Madero

Telefone: +54 (11) 4314-3710

http://viajeaqui.abril.com.br/materias/10-parrillas-em-buenos-aires

Carlos Gardel nasceu em Tacuarembó, Uruguai ou Toulouse na França em 11 de dezembro de 1.890 e morreu em Medellín, em 24 de junho de 1.935.
Foi o mais famoso dos cantores de tango argentino, país ao qual chegou aos dois anos de idade.
Seu lugar de nascimento constitui uma questão controversa. Alguns sustentam que Gardel teria nascido no interior do Uruguai no departamento de Tacuarembó baseando-se em alguns documentos e matérias jornalísticas de época. seria filho do líder político local Carlos Escayola e de Maria Lelia Oliva, que tinha 13 anos. Outros dizem que Gardel teria nascido na cidade francesa de Toulouse como Charles Romuald Gardès, filho de pai ignorado e de Berthe Gardès. Gardel era esquivo sobre o tema e quando indagado dizia: "Nasci em Buenos Aires aos dois anos e meio de idade".
Cantor e ator celebrado em toda a América Latina pela divulgação do tango. Inicia-se como cantor ainda jovem com o nome artístico de El Morocho, apresentando-se em cafés dos subúrbios da capital argentina. Sua primeira interpretação formal se dá no Teatro Nacional da Avenida Corrientes, no qual também se apresenta Don José Razzano, com quem forma uma parceria por vários anos. Pela sensualidade de sua voz, que se presta muito bem à interpretação da milonga – gênero precursor do tango – torna-se conhecido a partir de "Mi noche triste" 1.917.

Teve como importante parceiro musical o paulistano Alfredo Le Pera. Gravou mais de novecentas canções, entre tangos, fox-trots, fados, pasodobles e músicas folclóricas, vendendo milhares de discos na América Latina e Europa. 



Gardel morreu num desastre de avião durante uma turnê, em Medellín, na Colômbia. Nesse acidente morreu também seu parceiro Alfredo Le Pera. Seus restos mortais encontram-se no cemitério de La Chacarita, na capital argentina. Em 2.003, por proposta do governo uruguaio a voz de Gardel foi gravada pela Unesco no Programa Memória do Mundo.




http://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Gardel





Córdoba é a cidade mais populosa, depois de Buenos Aires e a mais extensa da Argentina e capital da província homônima. Tem 1.282.569 habitantes (1.368.109, incluindo a área metropolitana). Foi fundada pelo adelantado Jerónimo Luis de Cabrera, em 6 de Julho de 1.573, às margens do rio Suquía.
Fica 713 quilómetros ao noroeste de Buenos Aires .
Córdoba foi fundada a 6 de julho de 1.573 pelo militar Jerónimo Luis de Cabrera, que logo após sua fundação foi chamado de volta para Córdoba, na Espanha. Foi um das primeiras colônias espanholas, capital da região da atual Argentina (a cidade mais antiga foi Santiago del Estero, fundada em 1.553).

A Universidade Nacional de Córdoba é a mais antiga universidade do país, e foi fundada em 1.613 pela Ordem Jesuíta.

Após o término da Segunda Guerra Mundial, Córdoba tornou-se um grande centro para a indústria aeronáutica argentina.

Possui muitos monumentos históricos preservados desde os tempos do colonialismo espanhol, especialmente os edifícios da Igreja Católica.

O mais destacado é, talvez, o quarteirão jesuíta (Manzana Jesuítica) declarado, em 2.000, Património Mundial pela UNESCO. É um quarteirão de edifícios datados do século XVII, incluindo o Colégio Nacional Montserrat, a antiga universidade (hoje museu histórico da Universidad Nacional de Córdoba) e a igreja da Companhia de Jesus.
http://pt.wikipedia.org/wiki/C%C3%B3rdoba_(Argentina)


Rosário é uma cidade e município da província de Santa Fé, na Argentina. De acordo com o último censo (INDEC), possuía em 2.001 cerca de 909.000 habitantes, 1.161.000 na região metropolitana (Grande Rosário). Nasceu em 1.665 como um povoado minúsculo chamado Pago de los Arroyos, ao sul do Rio Caracaraña.
A região era habitada pelos índios guaicurus, integrados por tobas, abipones e pilagás. Viviam da caça de antas e de capivaras, sendo bons pescadores, para o que usavam redes.
Com a expansão da presença espanhola, o governador-geral de Buenos Aires concedeu as terras da atual cidade de Rosário a Juan Romero de Pineda. Em 1.823, a aldeia – então com cerca de mil habitantes – recebeu o título real de "ilustre y fiel villa de Rosario".

A cidade de Rosário é conhecida como o berço da Bandeira, e sua construção mais famosa é a do Monumento à Bandeira. Além disso, desde o século XIX era conhecida informalmente como "Chicago da Argentina."
Rosário surgiu no século XVIII, fundada oficialmente no cruzamento da Estrada Real que levava para Córdoba. A localidade estendeu-se bastante, tanto em extensão territorial como em população, chegando a atingir o litoral e a fronteira com o Paraguai. Isso causou uma fase importante em que os vagões paravam às margens do rio Paraná, nesta fase, facilitou o estabelecimento de um oratório ao redor de uma capela dedicada à Virgem do Rosário.


Na sua costa, ao longo do rio Paraná, o advogado Manuel Belgrano organizou baterias defensivas proclamando independência e liberdade. A bateria de liberdade estava no topo do penhasco que formava o ângulo entre as ruas Santa Fé e Córdoba, que haviam sido reduzidas para ampliar a praça de Brown.

Exatamente às 6:30 horas de 27 de fevereiro de 1.812, habitantes da vila participaram da cerimônia em que foi içada a bandeira da Argentina, criado por Manuel Belgrano, que realizou juramentos perante a bandeira juntamente com seus soldados. É por isso que Rosário é chamada de "berço da Bandeira".
Embora o uso da bandeira tenha sido rejeitado pelo governo logo em seguida, tornou-se oficial logo após o Congresso de Tucumán, em 1.816.



Rosário está localizada no sudeste da província de Santa Fé, o chamado Pampa Úmida e é um ponto de passagem para aqueles que se deslocam entre as diferentes regiões. Está situado 401 da cidade de Córdoba, a noroeste e 306 km a sudeste da cidade de Buenos Aires, capital argentina. O tecido urbano abrange 178,69 km ², dos quais 117 km² estão urbanizadas. O destaque da região é uma planície ondulante, e sua altitude é de 24,6 metros.

O limite oriental da cidade é dado pelo rio Paraná, na fronteira norte da área urbana da cidade de Granadero Baigorria, ao oeste do município, na área rural, com os municípios vizinhos de Funes e Pérez. Ao sudoeste da cidade com o município de Soldini e ao sul pela cidade de Villa Gobernador Gálvez, que é separada pelo Rio Saladillo.

Rosário foi uma das sedes da Copa do Mundo FIFA de 1.978, da Copa do Mundo Feminina de Hóquei sobre a Grama de 2.010 e da Copa América de 1.987 e da Copa América de 2.011.
Ernesto Rafael Guevara de la Serna, conhecido como "Che" Guevara nasceu em Rosário em 14 de junho de 1.928 e morreu em La Higuera, em 9 de outubro de 1.967. Foi um político, jornalista, escritor e médico argentino-cubano .

Guevara foi um dos ideólogos e comandantes que lideraram a Revolução Cubana (1.953-1.959) que levou a um novo regime político em Cuba. Ele participou desde então, até 1.965, da reorganização do Estado cubano, desempenhando vários altos cargos da sua administração e de seu governo, principalmente na área econômica, como presidente do Banco Nacional e como Ministro da Indústria, e também na área diplomática, encarregado de várias missões internacionais.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Che_Guevara
Rosário é ligada às cidades de Buenos Aires, Córdoba e San Miguel de Tucumán através da estrada de ferro General Bartolomé Mitre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ros%C3%A1rio_(Argentina)

Mendoza é a capital e a maior cidade da província de Mendoza, na Argentina. Localiza-se no oeste do país, nas bordas da Cordilheira dos Andes, sendo um importante pólo de produção de vinho e azeite, além de ser dos mais importantes pontos turísticos da Argentina.
A base da cidade atual surgiu de um ordenamento realizado em 1.863 pelo agrimensor francês Ballofet e que inclui a disposição estratégica de várias praças.
A atividade econômica está fortemente vinculada à indústria de elaboração de vinhos, alimentos, e outras bebidas e, também, com o refinamento de petróleo. Além disso, o setor de turismo se destaca bastante.
Segundo o censo de 2.010, a a cidade tem 114.822 habitantes, o que representa uma baixa demografia em relação aos 121.620 habitantes do censo de 1.991.
Este estancamento é produto da inexistência de lugares que permitam o crescimento da população, ao que se soma uma tendência geral da população a abandonar o centro, o qual é ocupado por oficinas e comércios.
A Grande Mendoza, por sua vez, possui aproximadamente 900 mil pessoas e apresenta um crescimento populacional de 10%. A cidade de Mendoza é a quarta cidade da Argentina.
O Serviço Público de Transporte Urbano, na Gran Mendoza (Grande Mendoza) é atendido principalmente por um meio de locomoção ágil, os ônibus bi-articulados (ou Trolebuses, em espanhol). São 55 unidades, o maior número de toda Argentina.
Existe uma linha exclusiva de carros elétricos (Tranvía, em espanhol, bonde em português do Brasil) para passeios turísticos com paradas estratégicas por toda a cidade.
A cidade de Mendoza e Los Andes são parte importante do chamado Corredor Bioceânico. Desde 1.910, parte de Los Andes, com direção a Mendoza, o Trem Transandino, obra dos ingleses Juan e Mateo Clark, que transportava passageiros e carga desde 5 de abril de 1.910, data de sua inauguração. Desde o fim dos anos 70 deixou de transportar passageiros, e finalizou completamente suas operações. Em 2.006, está em projeto a reinauguração deste histórico trem.
Dos trabalhadores deste trem, em Los Andes, Chile, nasceu o clube esportivo Trasandino, representante oficial de futebol da cidade.
A ferrovia, fora de serviço, funcionava com trem movido a carvão.
Vinhos de Mendoza
Mendoza recebe a alcunha de “adega da Argentina”, pois a região metropolitana mendoncina é destacadamente a principal joia da coroa, com 70% da produção vinícola da Argentina, e esta ocupa o honroso 5.º lugar no mundo. Contrastam gigantescas vitivinícolas com as melhores tecnologias do mundo, ao lado de pequenas cavas artesanais e familiares. As primeiras mudas de videiras, vieram do Chile através dos jesuítas, cruzando os Andes, porém só ganhou notoriedade com a chegada dos imigrantes italianos, espanhóis e franceses, no século XIX.
Suas vinícolas oferecem um dos melhores custo-benefício pois, comparativamente com outros renomados países produtores, em Mendoza a mão de obra e as terras são bem mais acessíveis.


São cerca de 1.220 bodegas, que produzem 1 bilhão de litros por ano, onze vezes mais que toda a produção brasileira, com 91,9 milhões de litros em 2011. Mais de 100 vinícolas estão preparadas para receber visitantes.
Quais as características do terroir mendoncino? Altitude que varia entre 900 a 1.800 m, solo desértico, escassas chuvas, vento seco denominado Zonda, um benfazejo e inclemente sol (cerca de 300 dias de sol por ano), baixa umidade, constituem o terroir perfeito que afastam insetos, pragas e fungos. Some-se a isso a grande diferença de temperatura entre o dia e a noite. Dias quentes propiciam mais açúcar e noites frias favorecem a produção do tanino. Paradoxalmente, busca-se o equilíbrio entre o doce e o ácido. Os pés da videira são irrigados por gotejamento, através de mangueiras abastecidas pela água do degelo. Aguça a curiosidade quando se vislumbra os parreirais, em sua maioria, cobertos por redes de nylon, com o escopo de protegê-los das chuvas de granizo, tão comuns na região e que em 10 minutos podem comprometer significativamente a produção do ano em curso e do ano seguinte.



É uma precaução necessária, sendo que as redes não são estendidas na horizontal e sim na forma piramidal, que devidamente dispostas fazem com que as pedras de gelo caiam no meio das fileiras dos pés de uva.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mendoza_(Argentina)



Mendoza é o centro de vinhos da América do Sul, e como tal produz e exporta vinhos para vários países, especialmente a sua variedade distinta, Malbec. Ele também é um grande produtor de cabernet sauvignon, sauvignon blanc, syrah, tempranillo, merlot, chardonnais, Semillon, Chenin e Bonarda. Através de excursões, nas "estradas do vinho", você pode apreciar este casamento entre o turismo do vinho e aqueles que trabalham incansavelmente para cultivar a terra em Mendoza.



Em  Mendoza , você pode definir a "boa vida" com os vinhos degustados em um ambiente descontraído e amigável, com vista para as vinhas.
No campo em Mendoza, aromas se misturam: uvas, cerejas, pêssegos e uma grande variedade de legumes e frutas. Os sentidos estão enebriados, e o ritmo pulsante da degustação de vinhos e azeite de oliva, o calor da terra no coração da visita turística, é para ficar marcado.

Desde o guardião imponente do Cerro Aconcagua, com 6.962 metros, a cúpula da América, Mendoza anunciou a majestade de sua generosa geografia. Montanhas de neve eterna, vales de rios tumultuosos, planícies e desertos da magia calma, oásis luxuoso ... paisagens de maravilha e atividades para todos. Esportes de inverno esqui centros esportivos internacionalmente excepcionais em lagos, turismo de aventura, pesca desportiva ... Isso completa a promessa desta terra: Mendoza se aproveita o ano todo.
http://www.turismo.mendoza.gov.ar/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=14&Itemid=4


Al Este Bodega y Viñedos é um produtor de vinhos premium no Médanos, Buenos Aires, Argentina. É constituída de vinhas contíguas e uma adega, localizada 640 quilômetros ao sul da cidade de Buenos Aires, no extremo sul da província de Buenos Aires ao lado do Oceano Atlântico. O projeto foi desenvolvido sob a direção pessoal do enólogo italiano Alberto Antonini.
Em sua primeira participação em uma competição internacional, Al Este Bodega y Viñedos ganhou uma medalha de prata no Decanter World Wine Awards, em 2.009, realizada em Londres e do vinho é classificado em sexto lugar "na lista de recomendações para Decanter o ano de 2.009.
Vários imigrantes europeus vieram a Medan, no início do século XX, trazendo a tradição vitivinícola. Estes imigrantes desenvolveram uma multidão de pequenas empresas que, juntas, plantação de vinha atingindo cerca de 200 hectares, mas, infelizmente, devido à falta de infra-estrutura, escala e os caprichos do país não foram capazes de completar o processo de produção para fazer o vinho e, finalmente, desapareceram.

O terroir de dunas que haviam sido tradicionalmente dedicado a pastagens e ao cultivo de alho tem semelhanças com o Bordeaux, França em termos de características de solo, clima e proximidade com o mar.
Mais recentemente, a ideia de iniciar um projeto vitivinícola Medanos revivido de uma viagem à França geração renovada confiança no potencial do terroir.
Em 2.000, plantou um hectare e meio como um experimento com nove variedades. Em uma segunda etapa, depois de analisar os níveis de qualidade obtidos a partir de cada variedade de uva no Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), um adicional de 25 hectares foram plantados com seis variedades principais.
Al Este produz atualmente sete variedades.
Tintos: Malbec, Cabernet Sauvignon, Merlot, Tannat, Cabernet Franc
Brancos: Chardonnay, Sauvignon Blanc,
Adega e vinhas
Os vinhedos estão localizados em 39 graus de latitude sul, onde convergem a Patagônia e os Pampas, cerca de 40 km do Oceano Atlântico.
Uma fonte vento ajuda a desenvolver uma pele mais espessa que lhe confere uma cor profunda e de corpo inteiro destes vinhos.
A base geológica da região de dunas consiste de uma placa calcária que faz dele o solo é rico em cálcio. O solo é arenoso, de modo que não retém muita umidade e, conseqüentemente, o terroir absorve e libera o calor mais rapidamente, resultando em uma maior gama térmica que os benefícios do desenvolvimento e crescimento das uvas.
A vinícola produz vinhos tintos e brancos que são envelhecidos em barricas de carvalho francês e americano e engarrafado na adega subterrânea. É a primeira empresa a colheita, produzir e comercializar vinhos premium na Província de Buenos Aires.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Al_Este


Terroir é um termo de origem francesa (lê-se terroar), provém do latim popular (terratorium). Significa originalmente uma extensão limitada de terra considerada do ponto de vista de suas aptidões agrícolas, particularmente à produção vitícola. Usa-se também a expressão produtos de terroir para designar um produto próprio de uma área limitada.
O terroir, na ampliação do conceito desenvolvido por geógrafos franceses, é um conjunto de terras sob a ação de uma coletividade social congregada por relações familiares e culturais e por tradições de defesa comum e de solidariedade da exploração de seus produtos. 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Terroir


O que é Terroir?
Em 4 de fevereiro de 2013 · Curiosidades
Terroir (lê-se terroar) é um termo francês que representa vários fatores responsáveis pelo cultivo da videira determinando a qualidade da uva e por consequência, do vinho. Essa terminologia é bem complexa por não ter nenhuma palavra equivalente para a tradução do seu significado. 
Falar de Terroir é falar de topografia, geologia, pedologia, drenagem, clima, microclima, castas, intervenção humana, cultura, história, tradição e etc. A definição da palavra é muitas vezes confundida com explicações mais genéricas como regionalidade e a tipicidade de terrenos.

Mas não se confunda. A região é definida pela geografia (latitude, longitude, altitude e etc.). A região é uma das variáveis do terroir, e não sua definição.
Sem homem não há terroir. O fator humano é indiscutivelmente uma variável muito importante na explicação do termo. O homem tem como função e atributo ajudar a natureza a exprimir suas melhores qualidades para resultar no melhor vinho.




Assim como um mau produtor pode não conseguir extrair um bom vinho mesmo de um terroir excelente. 

Há quem defenda que um terroir consegue transferir para o vinho um gosto único e próprio. O terroir e o conceito de qualidade que lhe é atribuído só são possíveis através de ação humana bem gerida e orientada. É o melhor da natureza com o melhor do homem.
http://www.sommelierwine.com.br/blog/2013/02/04/o-que-e-terroir/
Luigi Bosca Malbec Reserva 2006


O vinho argentino Luigi Bosca Malbec Reserva 2.006, da região de Luján de Cuyo. Possui grande personalidade, ótimo e redondo corpo. De cor vermelho rubi intenso, brilhante, lágrimas chorosas e lentas. Aromas de amoras maduras, cereja, café, pimenta preta e caramelo. Álcool pronunciado, taninos suaves, amora e chocolate. Ótimo final de boca. Vinho elegante e muito prazeroso de beber.
Leva 14 meses em barricas de carvalho francês e mais 12 meses em garrafa. Ideal para acompanhar parrillada, carnes vermelhas assadas, queijos e cordeiro. Ideal para ser servido entre 16 a 18 graus. 
A safra 2005 levou 91 pontos do crítico americano Robert Parker.
Luis Fernando Nascimento, do ótimo blog Vinho com Prosa, fala que a história desta vinícola inicia no século XIX quando Leôncio Arizu, então com 7 anos de idade chega a Mendoza na Argentina. Em 1.943 Saturnino Arizu, filho de Leôncio ingressa na vinícola trazendo idéias inovadoras na produção de vinhos. Em 1.991 a Vinícola Luigi Bosca protagonizou a criação da Denominação de Origem Controlada Lujan de Cuyo e lança o primeiro Malbec DOC da Argentina e da América Latina. É a mais famosa uva de Mendoza.



Originária da região de Bordeaux na França, onde está em declínio, não se sabe ao certo por que essa uva foi mais bem sucedida na Argentina. Os vinhos Malbec de Mendoza tem estrutura e densidade raramente encontrados os vinhos Malbec de Bordeaux. Na França esta uva também é muito produzida na região de Cahors, sudoeste da França, onde em geral é cortada com Tannat.Você encontra os vinhos Luigi Bosca na Wein Haus, loja especializada em vinhos, pelo site www.weinhaus.com.br.     


http://www.eu-gourmet.com/2012/06/luigi-bosca-malbec-reserva-2006.html


Bariloche, cujo nome oficial é San Carlos de Bariloche, é uma cidade da Argentina, localizada na Província de Río Negro, junto à Cordilheira dos Andes na fronteira com o Chile. Está rodeada por lagos (Nahuel Huapi, Gutiérrez, Mascardi) e montanhas, como o Cerro Tronador (.3354 m de altitude, na fronteira com o Chile), o Cerro Catedral (movimentada estação de esqui) e o Cerro López. Possui cerca de 130 mil habitantes.
O nome Bariloche provém da palavra "Vuriloche" que na língua mapuche, significa "povo de trás da montanha". Isto porque seus primitivos habitantes, os índios mapuches, eram originários do outro lado da Cordilheira dos Andes. A altitude menor dos Andes na região de Bariloche (em alguns casos, inferior aos 1.000 m, cobertos de bosques) permitiu aos mapuches migrarem há séculos do sul do Chile para a região da Patagônia argentina.
Há evidências da existência de assentamentos indígenas à beira do Lago Nahuel Huapi e na zona hoje ocupada pela cidade de Bariloche, prévios a chegada dos colonizadores brancos. Em meados do século XVII e início do século XVIII, a zona foi objeto de viagens dos missionários do Chile, entre os que se contam estão os padres: Diego Rosales, Nicolás Mascardi, Felipe Laguna e Juan José Guillelmo. O primeiro homem branco que chegou à região vindo das regiões próximas ao Atlântico foi o Dr. Francisco Pascasio Moreno, que na época tinha 23 anos.



A fundação da cidade deu-se em 1.895, quando um imigrante alemão, Karl (Carlos) Wierderhold, criou ali um armazém. Em 1902, tornou-se a cidade de San Carlos de Bariloche. Sua arquitetura, principalmente na área central, lembra a de cidades alemãs e austríacas.
Vista do Lago Nahuel Huapi próximo à cidade de Bariloche.
Bariloche está situada numa micro-zona climática e de vegetação de floresta temperada. Seu clima é temperado, influenciado pela proximidade dos Andes, e suas florestas se mantêm graças à abundância de água dos grandes lagos glaciais, como o Nahuel Huapi. No inverno (junho a agosto), as temperaturas caem abaixo de zero e a maior quantidade de neve nas montanhas mais altas dá início à temporada de esqui. Afastando-se poucos quilômetros para leste da cidade, porém, o clima se torna mais seco, surgindo a fria estepe da Patagônia, com sua vegetação de gramíneas cada vez mais esparsas, até que a paisagem se torna a de deserto.
Cerro Catedral
Esquiadores na estação de Cerro Catedral
A principal atividade econômica de Bariloche é o turismo. Além das montanhas onde se podem praticar esqui e "snowboard" (Cerros Catedral e Tronador) destacam-se o Parque Nacional Nahuel Huapi, a travessia dos lagos andinos até o Chile, a Isla Victoria (no lago Nahuel Huapi), a região de El Bolsón (ao sul da cidade), a Colonia Suiza (em meio a bosques, na qual se situa um museu que conta a imigração suíça para a região) e os percursos turísticos chamados Circuito Chico e Circuito Grande, com paradas em vários pontos de onde se têm vistas panorâmicas dos bosques e montanhas ao redor da cidade. Seu comércio voltado para o turismo é principalmente de artigos de lã, couro e chocolates. Para os interessados em turismo de aventura, há opções de "rafting", cavalgadas, "parapente" e ciclismo de montanha.

Hotel Llao Llao.
Em anos recentes, a aquacultura especialmente de Trutas e Salmões e a criação comercial de animais silvestres como javalis e cervos têm sido atividades importantes.
Bariloche é também centro de produção de alguns vegetais de clima frio como Rosa-mosqueta e alfazema.
A produção de vinhos finos iniciou-se há cerca de 4 anos.
A cidade tem um aeroporto, o Aeroporto Internacional Teniente Luis Candelaria que está equipado para receber jatos, e opera voos domésticos e internacionais para países vizinhos. Por rodovia, fica a 1.638 km ao sul da capital argentina, Buenos Aires. Liga-se ao Chile por rodovia (cerca de 130 km até a fronteira, e mais 115 km até a cidade chilena de Osorno), havendo a opção, para turistas, de travessia em percursos alternados entre barcos e ônibus, num passeio conhecido como Cruce de Lagos, até Puerto Montt.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Bariloche



A Catedral de San Carlos de Bariloche ("Nossa Senhora do Nahuel Huapi") é o principal templo católico da cidade de San Carlos de Bariloche, na Argentina. Encontra-se na interseção das ruas Almirante Ou’Connor e Beschtedt, rodeada por duas praças com formosos jardins. É a sé episcopal da Diocese de Bariloche, sufragânea da Arquidiocese de Bahía Blanca.
Para a construção da Catedral de Bariloche, o arquiteto Alejandro Bustillo ofereceu seu projeto gratuitamente. Seu sentimento orientou-se em um estilo neogótico com reminiscências francesas. Um projeto que incluía, procurado ou não, algo das herméticas ciências medievais.
O edifício tem forma de cruz latina. Sua cabeceira está orientada exatamente ao Leste, de modo que o sol alumia desde o começo do dia.
Assim também se consegue esfumar as diversas variações da luz, ao passar pelos vitrais. Vista desde o exterior, geram-se planos de luz e sombra acentuando seus rasgos arquitetônicos já mencionados.
O material usado para seu edificação foi a “pedra branca”. É curioso notar, expressado por alguns feligreses, como o efeito que gera este mineral, pode transportar a um mundo interior de sensível austeridade. Impressão vinculada talvez com as grutas dos primeiros cristãos, que encontravam nestes meios de construção (pedra) os meios para edificar.
No caso do teto, são de cor negra e culminam em um campanário de 69 metros em forma de agulha.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Catedral_de_San_Carlos_de_Bariloche




Se a sua idéia era encontrar paisagens rurais em Bariloche você só fez o clique indicado. Tal sonho casa que está na sua imaginação, que é no Villa Sofia "
Cada casa tem tudo que você precisa e esquecer completamente e ter um grande momento, mas a experiência que oferecemos inclui muito mais.

Um ambiente com cinco hectares de bosques e jardins espetaculares sobre o majestoso Lago Nahuel Huapi . 
Um lugar onde você pode relaxar com o som dos pássaros arrullándote, mas por sua vez, você apenas cinco minutos de todas as atrações do centro da cidade.

Se à sua ideia de uma cabana em Bariloche você puder adicionar tudo o que um hotel de 5 estrelas oferece em infra-estrutura, a proposta é simplesmente irresistível. Dentro do recinto de Villa Luxury Lodge & Spa está localizado



Hotel com incrível piscina interior aquecida com vista para o lago, um ginásio completo e spa de 500 m2, com aconselhamento personalizado.


Além de um restaurante para saborear especialidades da Patagônia e um bar para quando o sol se põe. Se você estava procurando na internet " cabines de Bariloche " , achou.


http://cabanas.villahuinid.com.ar/



Patagônia é uma região geográfica que abrange a parte mais meridional da América do Sul. Localiza-se na Argentina e no Chile, e integra a seção mais ao sul da cordilheira dos Andes, rumo a sudoeste até o oceano Pacífico, e, a leste, até os vales em torno do rio Colorado até Carmen de Patagones, no oceano Atlântico. A oeste, inclui o território de Valdívia, através do arquipélago da Terra do Fogo.
O nome 'Patagônia' vem da palavra patagón usado por Fernão de Magalhães em 1.520 para descrever o povo nativo que sua expedição acreditou serem gigantes. Acredita-se atualmente que os patagones seriam os tehuelches, que tinham uma altura média de 180 centímetros, em comparação com os 155 cm de média dos portugueses da época.



A parte argentina da Patagônia inclui as províncias de Neuquén, Río Negro, Chubut e Santa Cruz, bem como a parte leste da Terra do Fogo. A Região Patagônica, uma subdivisão político-econômica argentina, inclui a província de La Pampa.





A parte chilena da Patagônia compreende a extremidade meridional de Valdívia, a região de Los Lagos, no lago Llanquihue, Chiloé, Puerto Montt e o sítio arqueológico de Monte Verde, bem como as ilhas a sul das regiões de Aisén e Magallanes, incluindo o lado ocidental da Terra do Fogo e do Cabo Horn.
Nessa região está localizada a cidade mais austral do planeta, Ushuaia, conhecida como "a terra do fim do mundo".

A Patagônia é uma região marcada pelos ventos que ocorrem em grande parte do ano. Dessa região é que partem as famosas excursões para a Antártica. Além de leões-marinhos, nessa região existe uma grande concentração de pinguins.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Patag%C3%B4nia


A Patagônia argentina é uma região geográfica da Argentina formada pelas províncias de Rio Negro, Neuquén, Chubut, Santa Cruz e Terra do Fogo.
Planalto localizado no sul do país predominantemente frio e úmido. Paisagem composta por florestas,geleiras e lagos.
O significado para Patagônia é Pé Grande, devido aos nativos que foram confundidos com gigantes.
A região vem se destacando no contexto mundial pelos ricos vinhos ali produzidos, em especial aqueles produzidos com a varietal Malbec.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Patag%C3%B4nia_argentina



Fontes : além das já citadas







Um comentário:

  1. Show de Post. Parabéns

    http://onjango.com/beleza/sobrancelha-de-rena-1635.html/

    ResponderExcluir