sexta-feira, 19 de julho de 2013

Conhecendo a França I

A França é um país localizado na Europa Ocidental, com várias ilhas e territórios ultramarinos noutros continentes. A França Metropolitana se estende do Mediterrâneo ao Canal da Mancha e Mar do Norte, e do Rio Reno ao Oceano Atlântico. É muitas vezes referida como L'Hexagone ("O Hexágono") por causa da forma geométrica do seu território. A nação é o maior país da União Europeia em área e o terceiro maior da Europa, atrás apenas da Rússia e da Ucrânia (incluindo seus territórios extraeuropeus, como a Guiana Francesa, o país torna-se maior que a Ucrânia).
Por cerca de meio milênio, a França tem sido uma grande potência, com forte influência econômica, cultural, militar e política no âmbito europeu e global. Durante muito tempo o país exerceu um papel de liderança e hegemonia na Europa (principalmente a partir da segunda metade do século XVII e parte do XVIII). Ao longo daqueles dois séculos, a França iniciou a colonização de várias áreas do planeta e, durante o século XIX e início do século XX, chegou a constituir o segundo maior império da história, o que incluía grande parte da América do Norte, África Central e Ocidental, Sudeste Asiático e muitas ilhas do Pacífico.
A nação francesa tem seus principais ideais expressos na Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. A República Francesa é definida como indivisível, laica, democrática e social pela sua constituição. A França é um dos países mais desenvolvidos do mundo, possui a quinta maior economia do mundo por PIB nominal, a nona maior por paridade do poder de compra e a segunda maior de toda a Europa. O país goza de um alto padrão de vida, bem como um elevado nível de escolaridade pública, além de ter uma das mais altas expectativas de vida do mundo. A França foi classificada como o melhor provedor saúde pública do mundo pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

É o país mais visitado no mundo, recebendo 82 milhões de turistas estrangeiros por ano.
A França tem o terceiro maior orçamento militar do mundo , a terceira maior força militar da OTAN e o maior exército da União Europeia, além de ser um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança das Nações Unidas e possuir o terceiro maior número de armas nucleares do mundo. O país é um dos membros fundadores da União Europeia e possui a maior área e a segunda maior economia do bloco. É também membro fundador da Organização das Nações Unidas, além de ser membro da Francofonia, do G8, do G20, da OTAN, da OCDE, da OMC e da União Latina.

A França metropolitana está situada na faixa entre as latitudes 41° e 51° N (Dunkirk é apenas a norte de 51°) e as longitudes 6° W e 10° E, na ponta mais ocidental da Europa e, portanto, se situa dentro da zona temperada do norte.
Enquanto a França metropolitana está localizada na Europa Ocidental, a França também tem territórios na América do Norte, Caribe, América do Sul, sul do Oceano Índico, Oceano Pacífico e na Antártica. Estes territórios têm diferentes formas de governo que vão desde departamento de ultramar à coletividade de ultramar. Os departamentos e coletividades ultramarinas da França e partilham fronteiras terrestres com o Brasil e Suriname (fronteira com a Guiana Francesa) e as Antilhas Holandesas (fronteira com Saint-Martin).
A França metropolitana abrange 547.030 quilômetros quadrados e têm a maior área territorial entre os membros da União Europeia. A França possui uma grande variedade de paisagens, desde as planícies costeiras no norte e oeste, as cordilheiras dos Alpes no sudeste, o Maciço Central da região centro-sul até os Pirinéus no sul-oeste.

Com 4.810,45 metros acima do nível do mar, o Mont Blanc é o ponto mais alto da Europa Ocidental, situado nos Alpes, na fronteira entre a França e a Itália. A França Metropolitana também tem sistemas fluviais extensos como o Sena, o Loire, Garonne e o Ródano, que divide o Maciço Central dos Alpes e deságua no Mar Mediterrâneo. A Córsega está ao largo da costa do Mediterrâneo.
A área total terrestre da França, com seus departamentos e territórios ultramarinos (excluindo Adélie Land), é de 674.843 km², 0,45% da área total da Terra. Contudo, a França possui a segunda maior Zona Econômica Exclusiva (ZEE) do mundo, que abrange 11.035.000 km², cerca de 8% da superfície total de todos as ZEEs do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (11.351.000 km²) e à frente da Austrália (8.232.000 km²). O norte e o noroeste do país têm um clima temperado, enquanto que uma combinação de influências marítimas, latitude e altitude produzem um clima variado no resto da França metropolitana.


No sudeste prevalece o clima mediterrâneo. No oeste, o clima é predominantemente oceânico, com um elevado nível de pluviosidade, invernos suaves e verões quentes. No interior o clima torna-se mais continental, com verões quentes e tempestuosos, invernos mais frios e menos chuva.


O clima dos Alpes e de outras regiões montanhosas é principalmente alpino, com o número de dias com temperaturas abaixo de zero passando de 150 por ano e com uma cobertura de neve com duração de até seis meses.


A República Francesa é uma república unitária semi presidencialista com fortes tradições democráticas. A constituição da V República foi aprovada por referendo em 28 de setembro de 1958. É extremamente reforçada a autoridade do executivo em relação ao Parlamento.
O poder executivo em si tem dois dirigentes: o presidente da República, atualmente François Hollande, que é chefe de estado e é eleito diretamente por sufrágio universal para um mandato de 5 anos (antes de 7 anos) e o Governo, liderado pelo primeiro-ministro nomeado pelo presidente. O primeiro-ministro atual é Jean-Marc Ayrault.
François Hollande, eleito Presidente da França em 2.012.
O parlamento francês é uma legislatura bicameral, composto por uma Assembleia Nacional (Assemblée Nationale) e um Senado. Os deputados da Assembleia Nacional representam círculos eleitorais locais e são diretamente eleitos para mandatos de 5 anos. A Assembleia tem o poder de demitir o gabinete e, assim, a maioria na Assembleia determina a escolha do governo. Os senadores são escolhidos por um colégio eleitoral para mandatos de 6 anos (inicialmente 9 termos homólogos), e metade dos assentos são submetidos a eleição a cada 3 anos, com início em Setembro de 2.008.

Os poderes legislativos do Senado são limitados; em caso de desacordo entre as duas câmaras, a Assembleia Nacional tem a palavra final, exceto para as leis constitucionais e lois organiques (leis que são diretamente previstas pela Constituição), em alguns casos. O governo tem uma forte influência na formação da ordem do dia do Parlamento.

A política francesa caracteriza-se por dois grupos políticos opostos: um de esquerda, centrada em torno do Partido Socialista Francês, e os outros da ala direita, anteriormente centrada em torno do Rassemblement pour la République (RPR) e agora seu sucessor, o Union pour un mouvement populaire (UMP). O poder executivo é atualmente composto na sua maioria por membros do UMP.
Um membro G8, grupo líder dos principais países industrializados, o país é classificado como a quinta maior economia do mundo e segunda maior da Europa é por PIB nominal; com 39 das 500 maiores empresas do mundo em 2.010, a França ocupa o quarto lugar no mundo e o primeiro na Europa na lista Fortune Global 500, à frente da Alemanha e do Reino Unido.

A França se juntou aos onze outros membros da União Europeia para criar o euro em 1 de Janeiro de 1.999, substituindo completamente o franco francês (₣) no início de 2.002.
A França tem uma economia mista que combina a iniciativa privada extensa (cerca de 2,5 milhões de empresas registradas)64 65 com substanciais (embora em declínio ) empresas estatais e intervenção do governo.

O governo mantém considerável influência sobre segmentos-chave dos setores de infra-estrutura, com participação majoritária em estradas de ferro, eletricidade, aviões, usinas nucleares e telecomunicações. O país vem relaxando gradualmente o controle sobre estes setores desde o início dos anos 1.990.
O governo está lentamente corporatizando o setor estatal e vendendo participações na France Télécom, Air France, assim como ações, seguros e indústrias de defesa. A França tem uma importante indústria aeroespacial liderada pelo consórcio europeu Airbus e tem o seu próprio espaçoporto nacional, o Centro Espacial de Kourou.

O Airbus A380, o maior avião comercial do mundo, é produzido pela Airbus, empresa europeia sediada na França.
Segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2.009 a França foi 6º maior exportador do mundo e o 4º maior importador de produtos manufaturados.
Em 2.008, a França foi o terceiro maior destinatário de investimentos estrangeiros diretos nos países da OCDE em 117,9 bilhões dólares, atrás de Luxemburgo (onde o investimento estrangeiro direto foi de transferências essencialmente monetárias aos bancos localizados no país) e dos Estados Unidos (316.100 milhões dólares), mas acima do Reino Unido (96,9 bilhões dólares), Alemanha (US $ 24,9 bilhões) e Japão ($ 24,4 bilhões).

No mesmo ano, as empresas francesas investiram 220.000 milhões de dólares fora da França, classificando a França como o segundo mais importante investidor externo direto no âmbito da OCDE, atrás dos Estados Unidos (311,8 bilhões de dólares) e à frente do Reino Unido (111,4 bilhões de dólares), Japão (128 bilhões de dólares) e Alemanha (156,5 bilhões de dólares).
Serviços financeiros, bancários e do setor de seguros são uma parte importante da economia francesa. A Bolsa de Valores de Paris é uma instituição antiga, criada por Luís XV em 1.724. Em 2000, as bolsas de valores de Paris, Amesterdã e Bruxelas foram incorporadas à Euronext.71 Em 2.007, a Euronext se fundiu com a Bolsa de Nova Iorque para formar NYSE Euronext, a maior bolsa de valores do mundo.
Euronext Paris, o ramo francês do grupo NYSE Euronext, é o segundo maior mercado europeu de ações, por trás da London Stock Exchange.
As empresas francesas mantiveram posições-chave na indústria de seguros e bancária: a AXA é a maior empresa do mundo seguro e está classificada pela revista Fortune como a nona empresa mais lucrativa do mundo. Os principais bancos franceses são BNP Paribas e o Crédit Agricole, classificados como 1º e 6º maiores bancos do mundo em 2.010.
O Monte Saint-Michel é um dos locais mais visitados da França.
Com 81,9 milhões de turistas estrangeiros em 2.007, a França está classificado como o maior destino turístico do mundo, à frente da Espanha (58,5 milhões em 2006) e Estados Unidos (51,1 milhões em 2.006). Este valor exclui 81,9 milhões de pessoas que ficam menos de 24 horas na França, como europeus do norte cruzando a França a caminho de Espanha ou da Itália durante o verão.


A França tem 37 locais classificados como Patrimônio Mundial da UNESCO e apresenta cidades de interesse cultural elevado (principalmente Paris, além de Toulouse, Estrasburgo, Bordéus, Lyon e outros), praias e balneários, estâncias de esqui e regiões rurais.
O país e, especialmente a sua capital, tem alguns dos maiores e mais renomados museus do mundo, incluindo o Louvre, que é o museu de arte mais visitado no mundo, além do Musée d'Orsay, principalmente dedicado ao impressionismo, e o Beaubourg, dedicado à arte contemporânea. A Disneyland Paris é o parque temático mais popular da França e de toda a Europa, com mais 15.405.000 visitantes em 2.009.


Palácio de Versalhes, uma das atrações turísticas mais populares do país.
Com mais de 10 milhões de turistas por ano, a Riviera Francesa (ou Côte d'Azur), no sudeste da França, é o segundo principal destino turístico no país, após a região parisiense.

De acordo com a Agência de Desenvolvimento Econômico Côte d'Azur, a região é beneficiada por 300 dias de sol por ano, 115 km de litoral, 18 campos de golfe, 14 estações de esqui e 3.000 restaurantes. Todos os anos a Côte d'Azur hospeda 50% da frota mundial de iates luxuosos, sendo que 90% desses iates visitam costa da região pelo menos uma vez na vida.

Um outro destino principal são os castelos do Vale do Loire, este Patrimônio Mundial é notável pela qualidade do seu patrimônio arquitetônico, nas suas cidades históricas, como Amboise, Angers, Blois, Chinon, Nantes, Orléans, Saumur e Tours, mas em particular pelos seus castelos.
Os locais turísticos mais populares incluem (de acordo com um ranking de 2.003 por visitantes por ano): Torre Eiffel (6,2 milhões), Museu do Louvre (5,7 milhões), Palácio de Versalhes (2,8 milhões), Museu de Orsay (2,1 milhões ), Arco do Triunfo (1,2 milhões), Centro Pompidou (1,2 milhões), Monte Saint-Michel (1 milhão), o Castelo de Chambord (711.000), Sainte-Chapelle (683 mil), Castelo de Haut-Koenigsbourg (549.000), Puy de Dôme (500.000), Museu Picasso (441.000), Carcassonne (362 mil).


A rede ferroviária da França, que se estende por 31.840 quilômetros, é a mais extensa da Europa Ocidental. É operada pela SNCF, e os trens de alta velocidade incluem o Thalys, Eurostar e TGV, que viaja a 320 km/h em uso comercial.

O Eurostar, juntamente com o Serviço de Tranferência do Eurotúnel, conecta-se com o Reino Unido através do Túnel da Mancha. As ligações ferroviárias estendem-se para todos os outros países vizinhos na Europa, com exceção de Andorra. Ligações intra-urbanas também são bem desenvolvidas, com os serviços de metrô e bondes complementando os serviços de ônibus.

Trem TGV saindo da Estação Figueres-Vilafant.

Há aproximadamente 893.300 quilômetros de rodovias utilizáveis na França. A região de Paris está envolvida com uma rede densa de estradas e rodovias que a ligam com praticamente todas as partes do país. Estradas francesas também lidam com um importante tráfego internacional, conectando-se com cidades da vizinha Bélgica, Espanha, Andorra, Mônaco, Suíça, Alemanha e Itália. Não há taxa de matrícula anual ou estrada fiscal, entretanto, o uso da auto-estrada é através de pedágios, exceto nas imediações dos municípios de grandes dimensões.
O mercado de carros novos é dominado por marcas domésticas como a Renault (27% dos carros vendidos na França, em 2.003), Peugeot (20,1%) e Citroën (13,5%).85 Mais de 70% dos carros novos vendidos em 2.004, tinham motores a diesel, muito mais do que continha gasolina ou a GPL. A França também possui a ponte mais alta estrada do mundo: o Viaduto de Millau, e construiu muitas pontes importantes, como a Pont de Normandie.

Há cerca de 478 aeroportos em França, incluindo campos de pouso. O Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle, situado nos arredores de Paris, é o maior e mais movimentado aeroporto do país, e manipula grande maioria do tráfego popular e comercial do país e liga Paris com praticamente todas as grandes cidades em todo o mundo. A Air France é a companhia aérea nacional, apesar de numerosas companhias aéreas privadas que fornecem serviços de viagens domésticas e internacionais.


Há dez principais portos na França, a maior das quais é, em Marselha, que também é a maior fronteira com o Mar Mediterrâneo. 14.932 quilômetros de canais atravessam a França, incluindo o Canal do Meio-dia, que liga o Mar Mediterrâneo ao Oceano Atlântico através do rio Garonne.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Fran%C3%A7a

A culinária da França compreende uma grande variedade de pratos e goza de grande prestígio no mundo, principalmente no ocidente. A grande variedade de queijos, vinhos, carnes e doces é a imagem de marca da França em termos de gastronomia.
Tradicionalmente, cada região francesa tem uma culinária própria: a culinária do noroeste usa manteiga, creme de leite (crème fraiche) e maçãs; a culinária provençal (do sudeste) prefere azeite, verduras e tomates; a do sudoeste usa gordura de pato, fígado (foie gras), cogumelos (cèpes) e moelas; a culinária do nordeste relembra a culinária da Alemanha e usa banha de porco, salsichas e chucrute.
Além destas quatro áreas gerais, há muitas mais tipos de culinária locais, como a do vale do Rio Loire, famosa pelos delicados pratos de peixe de água doce e pelos vinhos brancos; a cozinha basca, famosa pelo uso de tomate e pimentão, e a culinária do Roussillon, semelhante à culinária da Catalunha.
Com as deslocações e viagens constantes de hoje, tais diferenças regionais são menos acentuadas do que foram, mas ainda se sentem claramente.
O viajante que atravesse a França notará alterações significativas na forma de cozinhar e nos pratos servidos. Além disso, o interesse recente dos consumidores franceses por produtos alimentares locais, dos campos locais (produits du terroir) significa que as culinárias regionais atravessam forte renascimento neste início do século XXI.
Cozinhas exóticas, particularmente a Culinária da China e alguns pratos de ex-colônias no Norte da África (cuscuz), tiveram influência.
O modo de alimentação do dia é tomar um desjejum leve (pão, e/ou cereal, e/ou "croissants", e/ou pain au chocolat", possivelmente café e às vezes frutas ou suco), um almoço entre meio dia e 14 horas, e jantar à noite. Uma refeição normal completa consiste de entrada (vegetais crus ou salada), prato principal (carne ou peixe, com acompanhamento de vegetais, massa, arroz ou batatas fritas), queijo e/ou sobremesa (frutas, tortas, bolos, cremes ou compota).
Nas grandes cidades, a maior parte dos que trabalham e estudam almoçam fora. As lanchonetes das empresas e escolas servem refeições completas (entradas, prato principal, queijos, sobremesa) não sendo comum que os estudantes tragam sanduíches de casa. Em cidades menores, a maioria dos trabalhadores volta a casa para almoçar, o que causa quatro horas de correria diárias (às 8 da manhã, ao meio-dia, às 14 e às 18 horas).
Com o estilo de vida contemporâneo, com o reduzido número de esposas/donas-de-casa, o francês conta muito com enlatados ou congelados para a refeição semanal. Aqueles que não dispóem de um refeitório próximo ao local e trabalho/estudo costumam optar por um lanche (sanduíches ou saladas) ao meio dia. Ainda é popular cozinhar à noite ou aos finais-de-semana com ingredientes frescos. Na maioria das cidades, há mercadinhos que vendem vegetais, carne e peixe, e queijos embora a maioria de tais produtos sejam comprados nos hipermercados ou supermercados.

Tradicionalmente, a França tem a cultura do consumo de vinho. Tal característica vem diminuindo, e hoje apenas cerca de 28,67% dos franceses consomem vinho diariamente. Especialmente, o consumo de vinhos de menor qualidade nas refeições tem diminuído muito. A cerveja é popular, especialmente entre os jovens.
Outras bebidas alcoólicas populares incluem, no sudeste o Pastis, aromatizado com sementes de anis e diluída com água, popular do verão; e cidra, no nordeste.
A maioridade legal para consumir álcool é 18 anos. Não é costume de donos de bares ou atendentes de bares (garçons) verificar a idade dos consumidores, de modo que serve-se vinho a adolescentes que façam refeições com suas famílias no restaurante. Por outro lado, é muito raro presenciar uma bebedeira pública, comum aos sábados à noite na França. Usualmente, os pais proíbem consumo de álcool aos filhos antes da maioridade. Estudantes e adultos jovens são conhecidos por beberem muito durante festas: vodka e tequila são populares.


Esquematicamente, a cozinha francesa pode ser dividida em:
Cozinha Burguesa, que inclui todos os pratos clássicos que não são (ou não são mais) especificamente regionais, adaptados para o gosto das classes sociais mais afluentes. Inclui os molhos ricos à base de creme e técnicas de cozinhar complexas (as que muitos associam à culinária francesa).
No topo da categoria está o que é conhecido como alta cozinha, maneira altamente complexa e refinada da preparação de comida e gerenciamento da cozinha. Como justamente este tipo de cozinha aparece frequentemente no estrangeiro como "Cozinha Francesa", acredita-se por engano que as refeições típicas francesas envolvem procedimentos culinários complexos e pratos ricos, nada dietéticos. Quando, na verdade, este tipo de cozinha é reservado para ocasiões especiais.
Cozinha regional ou cuisine do terroir
A Cuisine du terroir cobre as especialidades regionais, com ênfase em alta produtos de qualidade e na tradição camponesa. Muitos pratos não aparecem como franceses, estereotipadamente, pois os estilos regionais podem diferir muito dos que se encontram nos restaurantes franceses pelo mundo.


Cuisine nouvelle ou nova cozinha
Cuisine nouvelle ou nouvelle cuisine, desenvolvida na década de 1.970 em reação à cozinha tradicional. Teve a influência de chefes como Paul Bocuse.

Caracteriza-se por ser elaborada em pouco tempo, com molhos mais leves e menores porções, apresentadas em forma refinada e decorativa. Moderna e inventiva, incorpora técnicas e combinações vindas do estrangeiro (especialmente da Ásia). Teve grande influência nos estilos de cozinha de todo o mundo.
Cozinha atual
Comida, moda e tendências na França se alternam entre estes três tipos de culinária: atualmente há clara ênfase na cozinha chamada cuisine du terroir, um retorno à culinária tradicional, mais rústica, aos sabores "esquecidos" dos produtos da terra. A cozinha fusão, ou "fusion", popular no mundo de língua inglesa, não é muito usada na França. Mesmo assim alguns restaurantes de Paris (capital da França) têm tal tema e muitos modernos chefes franceses se deixam influenciar por grande variedade de estilos internacionais.
O Vegetarianismo não é comum na França e há poucos restaurantes vegetarianos.


Especialidades por região/cidade


Alsácia:
Choucroute garnie (sauerkraut repolho em conserva com salsichas, carnes salgadas e batatas)
Baba ao rum
Alpes:
Raclette (Queijo derretido servido com batatas, fiambre e carne seca)
fondue savoyarde (fondue de queijo e vinho branco em que se mergulham cubos de pão)
gratin dauphinois Batatas gratinadas com creme, como no Dauphiné.
Tartiflette (gratinado Savoyard de batatas, Reblochon natas e carne de porco)

Bretanha:
Crêpes ou panquecas muito finas
kik ar fars (porco com uma espécie de ravioli)
kouign amann (pão pequeno feito com muita manteiga)


Bourdeaux:
Produtora do Vinho Bourdeaux
Borgonha:
Boeuf Bourguignon (carne de vaca cozida em vinho da Borgonha durante muitas horas)
Escargots de Bourgogne (caracóis em suas cascas com manteiga e salsa fresca)
Queijos amanteigados, como o Camembert
Produtora de sal





Lorraine:
Quiche Lorraine uma massa de torta fina sobre a qual se dispõe creme e toucinho frito.

Costa Azul/Provença:
Bouillabaisse (uma sopa de tomates e peixes do Mediterrâneo servida com molho ferrugem)
Ratatouille (conserva de berinjela, tomates e abobrinha)
Pieds et paquets (pedaços de pés e tripas de cabrito em molho saboroso)




Nimes:
Brandade de morue (bacalhau em purê)

Normandia:
É uma região dependente de quatro pilares: maçã, leite, carne e frutos do mar. Também produz sidra.
Tripes à la mode de Caen (tripas cozinhadas em molho de vinho e Calvados)

Auvérnia Auvergne:
Tripoux (pedaços de tripas em molho saboroso)
Truffade(batatas salteadas com alho e queijo tipo "tomme")
Aligot (puré de batatas misturadas a queijo "tomme")



Perigord:
Foie gras (figado de ganso ou pato)






Touluse:
Cassoulet (ensopado com feijão branco, salsichas e pedaços de ganso ou pato confitados)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Culin%C3%A1ria_da_Fran%C3%A7a

A culinária da França é considerada uma das maiores do mundo. Caracteriza-se pela sua variedade, o resultado da diversidade regional,  tanto culturalmente e matérias-primas, mas também com o seu refinamento.  Sua influência é sentida em quase todas as cozinhas do mundo ocidental , que foram incorporadas em bases de conhecimento técnico da cozinha francesa. Vários chefs franceses têm reputação internacional, como no caso de Taillevent , La Varenne , Carême , Escoffier , Ducasse ou Bocuse . Ela agora está incluído, juntamente com a culinária do México , na lista do Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade , a partir do 16 de novembro de 2.010.
Diversidade
Tradicionalmente, cada região tem sua própria cozinha:
Cozinha noroeste usa manteiga , o creme de leite e maçã ;
Cozinha do sudoeste usa óleo , o foie gras , o cogumelo e Armagnac ;
Cozinha Sudeste é caracterizada por influências italianas e servido no azeite , as ervas e tomates ;
Culinária do Norte é caracterizada por influências belgas e servido no batata , de carne de porco , de feijão e cerveja ;
Cozinha oriental, caracterizada por influências alemãs , servido bacon, salsichas, cerveja e chucrute .
Além dessas cinco grandes áreas regionais, há também outros pratos locais como no Vale Loire (famoso pelo seu peixe em vinho branco), a cozinha basca (caracterizado pelo uso abundante de tomate e pimenta de Espelette ), cozinha de Roussillon (muito perto da cozinha catalã ) ou na cozinha do centro, com o seu caça, o patê de pacques as batatas ( Creuse ) ou seus vinhos e peixes de água doce (em Brenne).
Hoje, por causa do movimento de pessoas, essas diferenças regionais tendem a desaparecer, embora ainda observáveis, e uma pessoa que viaja para a França pode-se observar mudanças significativas na forma de cozinhar, os pratos servidos e os ingredientes usados. Além disso, a tradicional preferência do consumidor francês para os produtos da terra ( terroir ) favoreceu um forte renascimento da cozinha regional e produtos, enquanto o movimento slow food (também chamado ecogastronomy) ganha adeptos.
Alguns pratos exóticos, como chinês e vietnamita , juntamente com algumas ex-colônias, também se juntaram ao elenco.

Os vários tipos franceses de estabelecimento que servem comida e bebida, dependendo da hora do dia:
Restaurante . É o mesmo conceito de restaurante que pode ser encontrado em quase todos os países do mundo. Menus variar de acordo com a especialização de cada e o nível de luxo. Os pratos são selecionados com base em um menu ou à la carte.


Bistrot ou bistro . Menor e carater mais familiar, os menus são emitidos verbalmente ou por escrito em uma lousa a cada dia.
Bistrot à Vin . Semelhante a uma taverna , este termo evoluiu para bares de vinho, onde se pode degustar vinhos de diferentes DOC .


Brasserie . Originalmente conhecido as cervejarias que costumavam ter um pub, onde você também pode comer. Hoje, a brasserie oferece bebidas durante todo o dia inteiro com uma pequena seleção de pratos para acompanhá-los. É o equivalente das cervejeiras de Espanha.

Café . Os cafés, que não devem ser confundidos com as lojas de café são a primeira escolha para beber café e bebidas alcoólicas. Embora existam exceções (geralmente sanduíches, crepes e saladas) não são destinados ao consumo alimentar.
Salon de thé . Bebidas quentes orientado (chás, chás, cafés e chocolates), principalmente frequentado por pequeno-almoço e lanches, doces e bolos são servidos no acompanhamento. Devido ao efeito da imigração muitas lojas de chá adquiriram um caráter étnico e é fácil de encontrar nas grandes cidades, casas de chá orientais onde o chá acompanha um cálice de água ou bolos árabes.
Bar americano, apesar do nome, ele é simplesmente um estabelecimento de bebidas alcoólicas sofisticados (cocktails, bebidas espirituosas ...) e um público geralmente mais noturno.
Bouchon . Restaurante típico em Lyon . Comida tradicional perto da haute cuisine.
Estaminet . Restaurante típico da região Nord-Pas de Calais . Ex locais de reunião das classes trabalhadoras, agora transformada em atrações turísticas.

http://es.wikipedia.org/wiki/Gastronom%C3%ADa_de_Francia


A França é um país em que o vinho está inserido no cotidiano de seu povo, o vinho é um trunfo de seu povo, motivo de orgulho e prestigio internacional, seus vinhedos são a expressão máxima de qualidade, onde o terroir é gritante e fundamental. Os diferentes tipos de vinhos em pequenos espaços de terrenos, são marcantes.
Existem na França vinhos excepcionais e também grandes vinhos que devem ser bebidos sem grandes preocupações. A primeira preocupação de um enófilo que está prestes a conhecer os vinhos da França é saber diferenciar os vinhos, já que existem dezenas de denominações de origem e comunas com nomes de vinhedos.
Encontram-se nos rótulos dos vinhos franceses as seguintes especificações:
Vin de Table (vinho de mesa): Vinho comum, feito sem muitos cuidados, não são muito expressivos e possuem baixo custo beneficio.
Vin de pays (vinhos de região): Vinho comum, também conhecido como vinho ordinário, teve seu nome modificado devido ao significado da palavra ordinário em outras línguas como o Português.
Vin délimité de qualité supérieure- VDQS (Vinhos Delimitados de Qualidade Superior): Nesta categoria temos vinhos realmente respeitáveis, de qualidade superior, que deverão seguir os mesmos critérios de um AOC, mas terão que passar por uma degustação técnica rigorosa. Pode ser considerada uma categoria de transição, pois normalmente os VDQS aguardam a regulamentação para AOC. Esta categoria representa uma pequena parte da produção francesa.
Appellation d'origine contrôlée- AOC (Vinhos de designação de origem controlada): Nesta categoria estão os vinhos cujas qualidades são superiores aos anteriores, mas que nem sempre é garantia de boa qualidade, existe um controle mais rigoroso, e o vinho tem que ser dá zona especificada no rótulo e também obedecer a algumas especificações que estão na legislação especifica de cada região (como por exemplo: limite de produção por hectare, quais as uvas que podem ser cultivadas, os métodos de vinificação).
Terroirs
O conceito de terroir é uma particularidade francesa que dá a seus vinhos personalidade, de acordo com as uvas utilizadas, os terrenos onde foram cultivadas, o microclima da região, a experiêcia dos viticultores e ainda a qualidade da cave ou dos barris. O terroir é, além disso, um conceito cultural, ligado às comunidades locais, que vivem do cultivo e culto ao vinho.



Os grandes terroirs
Vinhedo d'Alsace
Vinhedo Beaujolais
Vinhedo de Bordeaux
Vinhedo de Bourgogne
Vinhedo de Champagne
Vinhedo de Corse
Vinhedo do Jura
Vinhedo do Languedoc





Vinhedo de Provence
Vinhedo de Roussillon
Vinhedo de Savoie
Vinhedo du Sud-Ouest
Vinhedo de Val-de-Loire
Vinhedo do vale do Rhône
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vinhos_da_Fran%C3%A7a


Conhaque ou Cognac
A destilação do vinho que deu origem ao conhaque começou a ser feita na região do Charente no sul da França no século XVII na vila Cognac. Ainda sem nome, entre 1.718 e 1.736, foram exportados do porto de La Rochelle para todos os continentes 493.000 barris do vinho. Porém só no ano de 1.783 foi que o nome conhaque começou a ser usado para o tipo da segunda destilação do suco de uva, que foi descoberto por Chevallier de la Croix-Marrons.
Devido as características da uva e o tipo do solo em que a parreira era plantada, o vinho produzido na região conhaque não aguentava ser transportado por longo período, transformando-se em vinagre. De forma que os agricultores começaram a envelhecer o vinho para que tivesse mais resistência.
E também devido ao fato da queda do comércio do vinho por um período de 60 anos, os agricultores para não perderem toda produção do vinho, armazenavam toda a safra em barris de carvalho, esperando o dia de sua melhor venda. 
O conhaque é produzido de uvas verdes selecionadas e, especialmente, as Colombard, Folle Blanche e Pinot Blanch, que são colhidas antes que estejam amadurecidas.
A região Charente divide-se em seis distritos: Grande Champagne, Petite Champagne, Les Borderies, Fins Bois, Bon Bois e Bois Ordinaires. O melhor conhaque, o Grand Fin Champagne é produzido na região Grande Champagne. Atualmente, existem nesta região 242 firmas produtoras de conhaque.
Para que o conhaque tenha uma boa qualidade, é importante que o tipo de solo calcário, em que a parreira é plantada, receba uma quantidade de sol intenso durante todo o processo de crescimento da uva.

Como o conhaque é feito:
O mosto da uva é destilado em alambique duas vezes. Na primeira destilação, que é feita em novembro, ela atinge 30% Volume de álcool e, na segunda, 70% volume de álcool (cada 9 litros de vinho branco corresponde a 1 litro de conhaque cru).
Em seguida, o conhaque é colocado para amadurecer em barris de 350 litros, feitos de madeira de carvalho retirada da floresta Limousin e Troncais. Durante esse período, ele adquire o ácido tânino, sua cor chega à uma tonalidade dourada e o seu aroma é formado.


Durante o amadurecimento que leva, no mínimo três anos, (e que de acordo com a melhoria da qualidade pode variar até 50 anos), é adicionado algumas vezes água destilada para que o conhaque atinja 38% Volume de álcool.
Os conhaques envelhecidos podem chegar aos 50 anos de idade onde atinge 40% volume de álcool natural, chegando a sua melhor qualidade.
Ele é engarrafado pouco tempo antes de ser levado ao comércio e, após o engarrafamento, não amadurece mais.
Classificação do conhaque:
Inglesa
Tree Stars
3 a 5 anos
V.O. Very old (5 anos)
V.O.P. very old pale (5 anos)
V.S.O.P. very superior old pale (15 anos no mínimo)
V.V.S.O.P. very, very superior old pale (20 anos no mínimo)
V.O.C.B. very old champagne brandy
V.V.E.S.O.P. very, very extra superior old pale
X.O. extremely old (25 anos no mínimo)


V.X.O. very extremely old (50 anos)
Cordon Bleu
Napoleon
Francesa
Fine Champagne conhaque da região Grande ou Petite Champagne
Marcas mais conhecidas de vinhos destilados:
Conhaque Martell, Remy Martin, Hennessy, Camus, Courvoisier, Hine, Delamain, Baron Otard, Salignac, Hardy, Monnet, Prince de Polignac.
Armagnac Usa o processo de destilação contínua sem repasse. Kressman, Cles des Ducs, Goudoulin, Sempe, Janneau, Samalens, Brillat Savarin, Chateau de Maillac.
Brandy Stock, 84, Vecchia Romagna, Carlos I, osborne, Veterano, Sandeman Capa-Negra, Metaxa.
Como servir o Conhaque:
Ele é bebido após o jantar e deve ser servido em uma taça com pé em forma de balão ou tulipa, com uma quantidade de 2 cl., a uma temperatura entre 16 e 18 Cº.
Para aumentar a intensidade do bouquet exalado pelo conhaque, o copo de conhaque em forma de balão é colocado sobre uma pequena labareda de fogo e aquecido por alguns segundos. Porém existem pessoas que preferem tomá-lo à temperatura ambiente.
http://gastronomiahoje.blogspot.com.br/2012/08/o-conhaque-e-produzido-de-uvas-verdes.html
http://www.cristinamello.com.br/?p=2448


A economia da França combina um extenso setor privado com uma intervenção estatal substancial, se bem que em declínio. Grandes áreas de terrenos férteis, a aplicação de tecnologia moderna e subsídios fizeram do país o principal produtor agrícola da Europa Ocidental.
Tem destaque na indústria automobilística, aeronáutica, alimentícia, uma agropecuária intensiva e extensiva. Destacam-se ainda as indústrias mecânicas, elétricas e químicas, com grande concentração de capitais, geralmente situadas perto dos centros urbanos. A França também desenvolveu uma extraordinária tecnologia de ponta no ramo da informática além de eletrônica em geral e aeronáutica.
Finalmente destaca-se o crescimento da indústria de armamentos, sendo o país uma potência militar.
Até meados do século XIX, o país era essencialmente agrícola, com importantes atividades artesanais. O desenvolvimento dos transportes, na segunda metade do século XIX, acelerou a concentração de atividades industriais em algumas áreas, principalmente próximas dos grandes centros urbanos.
Após a Segunda Guerra Mundial, mais exatamente a partir de 1.950, o governo francês estabeleceu algumas medidas protecionistas de seus produtos frente aos estrangeiros, que foram paulatinamente abandonadas à medida que a indústria francesa se modernizava, tornando-se mais competitiva. Durante década de 1.970 a produção industrial francesa cresceu mais de 33% porém a partir de 1.980 o ritmo de crescimento estabilizou-se.


O país é o 18º no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial. A Crise da dívida pública da Zona Euro tem afetado o país, que tomou medidas de austeridade.

Indústria
No fim do século XX, a França era a quarta nação industrial do planeta, depois dos Estados Unidos, Japão e Alemanha. O processo de forte industrialização tomou iniciativa, depois da segunda guerra mundial, com o apoio decisivo do governo, que também incentivou a fusão de pequenos grupos empresariais, o que resultou em maior concentração industrial do país.
Hoje em dia a economia da França torna-a na quinta nação mais rica do planeta em termos de PIB nominal, atrás dos Estados Unidos da América, da China, do Japão, da Alemanha, e à frente do Reino Unido, segundo projeções do FMI em 2.009. São de capital francês empresas como Accor, Air France, Air Liquide, Alcatel, Alstom, Areva, Aventis, Axa, BNP Paribas, Bouygues, Carrefour, Champion, Citroën, Danone, EDF, Elf, FNAC, France Telecom, Leroy Merlin, Michelin, Peugeot, Renault, Saint Gobain, Suez, Thales, Thomson, Total e Vivendi, etc.

Por esse motivo, da enorme riqueza que faz da França uma das nações da "elite" mundial, podemos dizer sem dúvida alguma que a França é um dos países mais industrializados do mundo, seus produtos se espalham por lojas e casas de todo o planeta.
Um dos setores que movimentam a economia da França em grande escala, sem dúvida nenhuma, é o turismo, fazendo da França o país que mais recebe turistas por ano (70 milhões de visitantes), que depositam no país dezenas de milhares de milhões de dólares. Alguns dos principais produtos exportados pela França são seus vinhos, perfumes e culinária.

Principais produtos da França
Agricultura: trigo, batata-doce, milho, cevada, uva, batata, frutas, aveia, girassol, hortaliças, beterraba, tabacos e vinhos.
Pecuária e Pesca: Bovinos, suínos, ovinos, caprinos; bacalhau, badejo, sardinha.


Mineração: Carvão, ferro, sais de potássio, bauxita, zinco, chumbo, ouro, petróleo, gás natural, gipsita e aço
Indústria: Produtos siderúrgicos, químicos, alumínio, cimento, automóveis, aeronaves, maquinário, metalurgia e produtos de alta tecnologia

http://pt.wikipedia.org/wiki/Economia_da_Fran%C3%A7a



A Airbus é a maior fabricante mundial de aviões comerciais, sediada em Toulouse, na França. O seu nome completo e oficial é Airbus Société par Actions Simplifiée. A empresa é uma subsidiária da EADS (que detém 80% da empresa) e da BAE systems (os 20% restantes). Estas duas empresas são as maiores fornecedoras de material bélico na Europa. A Airbus emprega cerca de 50 mil pessoas em vários países europeus. As fábricas principais estão localizadas em Toulouse (França) e Hamburgo (Alemanha).
Em setembro de 1.967, um acordo entre Inglaterra, França e Alemanha, iniciou a produção conjunta de uma aeronave widebody, o Airbus A300. Airbus provém das palavras inglesas Air e Bus, que significam autocarro aéreo. A empresa surgiu oficialmente como Airbus Industries, em 1.970, um consórcio integrado pela Aerospatiale (empresa francesa) e pela Deutsche Aerospace (empresa alemã), logo seguida pela espanhola Construcciones Aeronáuticas SA.



A Airbus foi pioneira em adotar massivamente o uso da tecnologia fly-by-wire em aviões civis. Isso aconteceu a partir da família A-320 e prevalece em suas sucessoras, mas não está presente nas famílias antecedentes (A-300 e A-310).
No sistema fly-by-wire, os controles no cockpit (manche, pedais, manetas etc.) não estão conectados mecanicamente (seja por cabos ou por atuadores hidráulicos) às superfícies de comando ou motores, mas sim eletronicamente a computadores. Cada vez que o piloto os acciona, ele dá um comando, não para essas superfícies ou para o motor de forma directa, mas para um ou mais computadores que o repassarão às superfícies ou motores.
Essa tecnologia, que foi aplicada primeiramente em aviões militares, hoje em dia está presente, em graus variáveis, em diversas aeronaves, inclusive da Boeing (só o B-777 é totalmente fly-by-wire, os demais, apenas parcialmente).
Presentemente, em decorrência de alguns acidentes envolvendo aviões da empresa, tem havido certa polêmica sobre o influxo deste sistema na segurança de voo.
A inclusão de mais elementos de maquinaria entre as ordens do piloto e as superfícies de controle e motores do avião aumenta a possibilidade de que um mal funcionamento da máquina possa criar problemas no voo. O consenso mais geral, entretanto, parece indicar que as vantagens do sistema (p. ex.: diminuição da carga de trabalho do piloto e precisão dos controles) superam suas eventuais desvantagens, sendo que estas últimas podem ser debeladas tanto por sistemas de backup, quanto pelo desenvolvimento tecnológico natural.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Airbus



O Airbus A380, desenvolvido e construído pela Airbus S.A.S. (EADS Systems), é o maior avião comercial de passageiros da história. O avião, chamado frequentemente de Superjumbo, fez seu primeiro voo experimental em 27 de abril de 2.005 em Toulouse, França.
O A380 demorou mais de dez anos e custou cerca de 12 bilhões de euros ou (R$ 35,1 bilhões) para ser desenvolvido.

O A380F é uma variação cargueira do A380. Uma curiosidade sobre a aeronave é que apesar do A380 ser o maior avião comercial de passageiros, o A380F não é o maior cargueiro, porque o Antonov 225, por exemplo, é o maior avião da história! Até maior que o A380. A aeronave encontra-se em desenvolvimento, com entrada prevista para 2014. Seu concorrente direto é o Boeing 747-8F.

O voo inaugural do A380 foi realizado no dia 25 de outubro de 2.007, entre Singapura e Sydney.
Decolou do aeroporto de Changi às 08:16 (01:16 GMT), com 455 passageiros a bordo, e pousou em Sydney às 8:23 (GMT).
A Singapore Airlines vendeu os bilhetes do voo num leilão de beneficência e doou os cerca de 2 milhões de dólares (1,4 milhões de euros) recebidos à Associação do Cancro do Pulmão de Singapura, a dois hospitais infantis de Sydney e à organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras.

A estreia do gigante em aeroportos brasileiros aconteceu no dia 10 de dezembro de 2.007 no Aeroporto Internacional de Guarulhos em São Paulo, vindo de Buenos Aires onde se apresentou às Aerolineas Argentinas, que adquiriu 3 aeronaves.
O primeiro dia da visita, foi demonstrado o interior do A380 para convidados, e deixando surpreendidos todos os passageiros e funcionários do GRU.  A aeronave fez um voo de demonstração para jornalistas e empresários no dia 11 de dezembro até a cidade de Curitiba no Aeroporto Internacional Afonso Pena (sem executar procedimentos de aproximação e pouso, permanecendo no marcador externo da terminal CWB) em um total de 1 hora e 50 minutos.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Airbus_A380


A Chanel S.A ou simplesmente Chanel ou ainda Casa Chanel é uma conceituada empresa de vestuário parisiense fundada pela falecida Coco Chanel, uma das maiores estilistas da Europa, especializada em peças de Luxo e perfumes refinados. A Chanel se tornou uma das maiores empresas do mundo no ramo, permanecendo como tal até então. Segundo a revista Forbes a empresa é controlada pelos empresários Alain Wertheimer e Gerard Wertheimer, netos do co-fundador da Casa Chanel.
A Chanel têm agradado muitas celebridades mundiais, desde que foi criada, com suas peças de bolsas de luxo cobiçadas pelas celebridades mundiais. Dentre elas Catherine Deneuve, Nicole Kidman, Audrey Tautou e a mais famosa cliente Marilyn Monroe.


A imagem é certamente o mais famoso de todos os anúncios da Chanel e continua a figurar entre os anúncios mais importantes da história do marketing mundial.
Enquanto Alain Wertheimer permanece presidente da Chanel a empresa viveu uma certa modernização na produção. Em 2.002 foi lançado o relógio unissex J12, considerado revolucionário e a fragrância Chance, com um aroma de surpresa e glamour.
A Casa da Chanel também fundou a empresa "Paraffection" que reuniu os cinco "Ateliers d'Art": "Desrues" para ornamentação, "Lemarié" de penas e camélias, "Lesage" de bordadeira, "Massaro" de sapateiro e "Michel" de chapéus.


Para agradar aos seus seguidores mais jovens, a Chanel introduziu o "In-Between Wear" em 2.003. Nesse mesmo ano, com a imensa popularidade, a Chanel criou uma nova grande filial no centro de Paris. E abriu novas lojas em Hong Kong e Tóquio.
Em novembro de 2.009 foi lançado no Brasil o filme Coco Antes de Chanel que conta a história de Coco Chanel da juventude pobre até a nobreza como uma importante estilista européia.



http://pt.wikipedia.org/wiki/Chanel


A Seleção Francesa de Futebol
A seleção francesa se tornou uma potência no futebol mundial a partir da década de 80, quando era comandada por Michel Platini, um dos melhores jogadores do mundo à época. Destacaram-se pelo vistoso futebol apresentado no título da Eurocopa de 1.984, pelo 3° lugar na Copa do Mundo de 1.986, além de um 4° lugar em 1.982. Na década de 80, os franceses foram campeões também nos Jogos Olímpicos de 1.984, vencendo o Brasil na grande final.



França e Argentina são as únicas duas seleções do mundo a conquistar a quádrupla coroa, vencedora da Copa do Mundo, dos Jogos Olímpicos, da Copa das Confederações, e da Eurocopa ou Copa América.
Mas os melhores anos dos Bleus viriam na década seguinte, em 90, histórica geração de Zinédine Zidane, Thierry Henry e outros. Essa seleção jogou as semifinais do Euro 1.996, e dois anos depois conquistaram a Copa do Mundo de 1.998, realizada em território francês. Em 2.000, venceram ainda a Eurocopa.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sele%C3%A7%C3%A3o_Francesa_de_Futebol

Paris é a capital e a mais populosa cidade da França, bem como a capital da região administrativa de Île-de-France. A cidade se situa num dos meandros do Sena, no centro da bacia parisiense, entre os confluentes do Marne e do Sena rio acima, e do Oise e do Sena rio abaixo. Como a antiga capital dum império estendido pelos cinco continentes, é, hoje, a capital do mundo francófono.

A posição de Paris numa encruzilhada entre os itinerários comerciais terrestres e fluviais no coração duma rica região agrícola a tornou uma das principais cidades da França ao longo do século X, beneficiada com palácios reais, ricas abadias e uma catedral. Ao longo do século XII, Paris se tornou um dos primeiros focos europeus do ensino e da arte.

Ao fixar-se o poder real na cidade, sua importância econômica e política não cessou de crescer. Assim, no início do século XIV, Paris era a mais importante cidade de todo o mundo ocidental.
No século XVII, era a capital da maior potência política europeia; no século XVIII, era o centro cultural da Europa e, no século XIX, era a capital da arte e do lazer, a Meca da Belle Époque.
Sua arquitetura, seus parques, suas avenidas e seus museus fazem-na, pelo ano de 2.004, a cidade mais visitada do mundo francófono, com cerca de 25 milhões de turistas, aproximadamente 500.000 a mais do que em 2.003, segundo a Secretaria de Turismo e de Congressos de Paris. As margens parisienses do Sena foram inscritas, em 1.991, na lista do Património Mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Paris é a capital econômica e comercial da França, onde os negócios da Bolsa e das finanças se concentram. A densidade da sua rede ferroviária, rodoviária e da sua estrutura aeroportuária — um hub da rede aérea francesa e europeia — fazem-na um ponto de convergência para os transportes internacionais. Essa situação resultou duma longa evolução, em particular das concepções centralizadoras das monarquias e das repúblicas, que dão um papel considerável à capital do país e, nela, tendem a concentrar, ao extremo, todas as instituições.
Desde os anos 1.960, os governos sucessivos têm desenvolvido políticas de desconcentração e de descentralização a fim de reequilibrar o país.
Abrigando numerosos monumentos, por seu considerável papel político e econômico, Paris é também uma cidade importante na história do mundo. Símbolo da cultura francesa, a cidade atrai quase 30.000.000 de visitantes por ano, ocupando, também, um lugar preponderante no mundo da moda e do luxo.
Em 2.007, a população intramuros (dentro do limite dos antigos muros) de Paris era de 2.193.031 habitantes pelo recenseamento do Instituto Nacional de Estatísticas e Estudos Econômicos. Porém, ao longo do século XX, a área metropolitana de Paris, se desenvolveu largamente fora dos limites da comuna original. A Grande Paris é, com seus 11.836.970 habitantes, uma das maiores aglomerações urbanas da Europa e da União Europeia. Com um PIB de US$813.364 milhões a Região Parisiense é um ator econômico europeu de primeira grandeza, sendo a primeira região econômica europeia.
Paris deve seu nome aos Parísios, um povo gaulês que habitava a região antes da chegada dos romanos. Após conquistá-los, os romanos rebatizaram seu assentamento como Lutetia Parisiorum. Ao longo do século IX, essa denominação, aos poucos, deu lugar ao nome atual. Os Parísios também emprestaram seu nome a algumas outras vilas da região, tais como Villeparisis, Cormeilles-en-Parisis, e Fontenay-en-Parisis.
O primeiro povoamento conhecido de Paris é da cultura chasseana (entre 4 000 e 3 800 a.C.), sobre a margem esquerda dum antigo braço do Sena dentro do 12º arrondissement de Paris. A presença humana lá parece ter sido contínua durante o Neolítico.
Os restos duma aldeia no Bairro Administrativo de Bercy, parte do 12º arrondissement, foram recuperados e datados por volta de 400 a.C. — notavelmente uma embarcação presa nos lamaçais que lá na época havia e atualmente exposta no Museu Carnavalet.
Durante a Belle Époque, a expansão econômica de Paris é significativa; em 1.913 a cidade possui cem mil empresas que empregam um milhão de trabalhadores. Entre 1.900 e 1.913, 175 cinemas são criados em Paris, numerosas lojas de departamentos nascem e contribuem para o engrandecimento da cidade luz. Duas exposições universais deixam uma grande marca sobre a cidade. A Torre Eiffel é construída para a Exposição Universal de 1.889 (centenário da Revolução Francesa) a qual acolhe 28 milhões de visitantes. A primeira linha do Metropolitano de Paris, o Grand Palais, o Petit Palais e a Ponte Alexandre III são inaugurados à ocasião da Exposição de 1.900, a qual recebe cinquenta-e-três milhões de visitantes. A indústria progressivamente se desloca para os subúrbios próximos onde se acha mais espaço disponível: Renault à Boulogne-Billancourt ou Citroën à Suresnes. Essa migração é a origem do "banlieue rouge". Entretanto, certas atividades permanecem fortemente implantadas dentro da cidade intra-muros, em particular a imprensa e a publicação.
No decorrer da Segunda Guerra Mundial, Paris, declarada como cidade aberta desde a Batalha da França, é ocupada pela Wehrmacht em 14 de Junho de 1.940. Ela é relativamente poupada. O governo do marechal Pétain se instala em Vichy, e Paris cessa de ser a capital e se torna a sede do comando militar alemão na França (Militärbefehlshaber in Frankreich).

Em 23 de Dezembro de 1.940, o engenheiro Jacques Bonsergent é o primeiro membro da Resistência a ser fusilado em Paris. Em 16 e 17 de julho de 1.942, dá-se a Rafle du Vélodrome d'Hiver, ou Vel d'Hiv, a apreensão de 12.884 Judeus, a mais massiva na França, tratando-se na maioria de mulheres e crianças.



Ao se aproximarem as tropas aliadas, a Resistência Francesa desencadeia uma insurreição armada em 19 de Agosto de 1.944.
A Liberação de Paris se faz em 25 de agosto com a entrada em Paris da 2ª divisão blindada do general Leclerc, que comanda ao capitão Raymond Dronne que perfure as linhas inimigas com a sua nona companhia (Régiment de marche du Tchad). O general von Choltitz capitula sem executar as ordens de Hitler demandando a destruição da cidade. A cidade é relativamente poupada de combates. Paris é uma das raras comunas da França a ser condecorada com o título de Compagnon de la Libération (Companheiro da Liberação).
No coração da bacia parisiense, Paris está implantada sobre o Sena, onde se situam as duas ilhas as quais constituem o centro histórico da cidade: a île de la Cité ao oeste e a île Saint-Louis ao leste. De lá, se estende de forma desigual dum lado e doutro do rio, sendo a superfície ocupada ao norte sobre a margem direita claramente superior (cerca do dobro de área) àquela sobre a margem esquerda ao sul.
A Paris intramuros foi delimitada de fato em 1.844 pelo Muro de Thiers, anexando, em 1.860, as comunas e os bairros encerrados por essa muralha. Ela é hoje separada do subúrbio pelo bulevar periférico. Os acessos viários se fazem pelos portões de Paris ou pelas autoestradas e rodovias nacionais que ali se entroncam.
O bulevar periférico, uma via expressa urbana de 35 quilômetros, constitui uma fronteira artificial entre a cidade e as comunas limítrofes; a sua cobertura gradual permite à Paris melhor ligar-se à sua periferia.
No exterior do limite do rodoanel, Paris também inclui as zonas onde ficam o heliporto (15º arrondissement) sobretudo as duas zonas arborizadas por Haussmann nas comunas vizinhas antes que fossem anexadas à Paris em 1.929: ao oeste, o Bois de Boulogne (846 hectares, 16º arrondissement) e ao leste, o Bois de Vincennes (995 hectares, 12º arrondissement), que trazem o perímetro da cidade a 54,74 quilômetros.

Paris, como o resto da Île-de-France mas de maneira ainda mais marcada, é mais rica e mais terceirizada que a média francesa. A aglomeração parisiense é todavia claramente menos especializada economicamente que outros grandes centros econômicos mundiais, notadamente Londres, sua grande rival na Europa, que é particularmente dinâmica no setor financeiro.
Todavia, segundo Éric Le Boucher, a Île-de-France conhece um declínio econômico e perdas de emprego: "nenhuma região-capital do mundo perde tantos empregos como Paris, obscurecida por seu passado brilhante, mal governada, fragmentada em seus egoísmos, anêmica, sem haver se inscrito resolutamente na competição mundial entre as métropoles do século XXI101  ».
O arquiteto Jean Nouvel mostra as mesmas inquietudes e estima que seja imperativo que Paris evolua, "sob pena de se transformar em cidade-museu".
Ao se tratar da rivalidade entre Paris e Londres, John Ross, conselheiro econômico do prefeito de Londres, estima em 2.008 no The Economist que Paris perdeu há muito tempo a competição econômica com Londres: "Nós não nos consideramos como em competição com Paris, nós já ganhamos esse combate. Nós nos medimos contra Nova Iorque ".

Essa afirmação é testemunha da agudeza da rivalidade entre as grandes metrópoles mundiais e especialmente entre Londres e Paris, assim como das disputas de comunicação que rodeiam essa concorrência para atrair para atrair as perspectivas de investimentos associados. The Economist ajunta que Londres ultrapassa desde então Paris em quase todos os grandes indicadores econômicos.
Todavia, Paris dispõe de mais m² de escritório que a capital londrina (nisto se inclui o espaço requerido pelos bancos), um número maior de grupos do Fortune 500 nela tem suas sedes, a Île-de-France se impõe como a primeira região europeia, à frente da Grande Londres, em número de empregos criados pelas implantações internacionais em 2.007 e por fim a capital francesa emite a cada ano mais patentes que a capital inglesa e dispõe de uma maior proporção de pesquisadores na sua mão-de-obra.
Neste momento, o PIB por paridade do poder de compra da aglomeração parisiense, estimada em 460 mil milhõesPE/bilhõesPB de dólares, é comparável, ou até mesmo superior ao de Londres. Essas comparações devem ser tomadas com prudência, os perímetros considerados não são sempre os mesmos: assim, a Grande Londres, com 7.517.700 habitantes, não representa a totalidade da aglomeração londrina.
O maior setor econômico é o turismo de lazer (cafés, hotéis, restaurantes e serviços relacionados) e o profissional (salão, congresso, etc). Ela enfrenta a concorrência emergente das cidades do Leste e do Sul Europeu que são por vezes mais baratas. Assim, Madrid é uma concorrente séria no turismo de lazer, Viena e Milão o são no turismo profissional. Paris dispõe de uma rede hoteleira muito diversificada, a um custo menor que várias outras capitais no setor de duas e três estrelas e se beneficia ainda de sua reputação no setor de elegância, luxo, perfumes, moda e gastronomia.
Paris continua sendo de longe o departamento que agrupa mais empregos na região com cerca de 1.650.600 em 2.004, ou seja, 31 % dos empregos privados da região, à frente de Hauts-de-Seine com 848.200 empregos (16 %).
Os salários parisienses (19 euros por hora por ano, em 2.002) são ligeiramente superiores à média regional (18,2 euros) e largamente superiores à média nacional (13,1 euros).
Entretanto, essa diferença se explica essencialmente pela forte sobre-representação dos quadros gerenciais que constituem 25 % dos assalariados. A cidade se caracteriza sobretudo por sua forte desigualdade social: os 10 % dos assalariados mais bem pagos ganha quatro vezes mais que os 10 % menos bem pagos, o que está um pouco acima da média regional (3,7), mas é bastante superior à disparidade constatada no resto da França (2,6).
Semelhantemente, as desigualdades geográficas aparecem no próprio seio da cidade: o salário horário médio oferecido no 8° arrondissement (24,2 euros) é superior em 82 % ao do 20° arrondissement (13,3 euros). Contrariamente, as disparidades salariais homem-mulher que ocupam idênticas posições profissionais não passa de 6 % em Paris contra 10 % no resto da França.
Mas se Paris é hoje em dia a capital mais visitada do mundo, ela é julgada como uma das menos acolhedoras e das mais caras: segundo uma enquete realizada em sessenta cidades com cerca de 14.000 pessoas através do mundo, ela se situa em primeiro lugar em beleza e dinamismo, mas uma das piores qualificadas no que concerne a qualidade do acolhimento (52° dentre 60) e os preços praticados (somente 55°).
Em 2.006, ela chegou só até o terceiro lugar como destino de viajantes internacionais. Ela é ainda assim a cidade onde se organiza o maior número de congressos internacionais. Ainda em 2.006, os cinquenta principais sítios culturais da cidade registraram 69,1 milhões de visitantes, ou seja, um crescimento de 11,3 % em relação a 2.005.






As principais atrações turísticas da cidade são:
A Torre Eiffel - construída em 1.889, foi planejada inicialmente para ficar de pé por apenas 20 anos; é considerada atualmente o principal símbolo da cidade.



A avenida Champs-Élysées, uma avenida famosa e muitas vezes cheia de turistas, que significa Campos Elíseos. Uma das mais largas avenidas do mundo, e uma das mais famosas.
O Centro Georges Pompidou
O Arco do Triunfo.
O Arco do Triunfo - construído por Napoleão Bonaparte, em 1.806, em homenagem às vitórias francesas e aos que morreram no campo de batalha.
O Museu do Louvre - famoso por abrigar o quadro Mona Lisa
O Montmartre - uma área histórica da cidade, onde se localiza a Basílica de Sacré Cœur, e famosa pelo seus cafés, seus estúdios e clubes noturnos, como o Moulin Rouge.

A Catedral de Notre-Dame - famosa catedral gótica localizada no centro da cidade
O Panthéon - uma antiga igreja, famosa por abrigar os restos mortais de vários franceses famosos.
O Quai d'Orsay - um cais na margem esquerda do Rio Sena.
O Museu da arte e história do Judaísmo
O Museu de Orsay - Museu que reúne importante coleção de arte impressionista e foi, no passado, uma estação de trem. Com a sua desativação, foi quase demolida, mas por protestos foi transformada em museu.
O Cemitério do Père-Lachaise, onde estão enterradas pessoas famosas como Oscar Wilde, Jean-François Champollion, Édith Piaf, Chopin, Allan Kardec ou ainda Jim Morrison.
O Hôtel des Invalides, museu e necrópole militar
La Défense - o centro financeiro de Paris, a oeste da cidade.
O Palácio de Versalhes - localizado na cidade de Versalhes, a maior atração turística do mundo. Construído por Luís XIV para abrigar toda a corte, designava o poder, a glória e a riqueza do Rei Sol (Luís XIV)
Disneyland Resort Paris - Complexo turístico do conglomerado Disney contendo várias opções de entretenimento incluindo dois parques multitemáticos, Disneyland e Walt Disney Studios. Localizado em Marne-la-Vallée (subúrbio de Paris) é a atração turística mais visitada da Europa, atraindo 12,4 milhões de visitantes só em 2.004.

L'Hôtel de Ville - Sede da prefeitura de Paris. Além de possuir uma arquitetura peculiar francesa, esbanja luxo e riqueza em cada detalhe.
O Moulin Rouge - Antigo cabaré utilizado para divertimento dos franceses em relação às francesas que ali trabalhavam. Hoje usado como ponto turístico.
Para se locomover dentro da cidade, além de ônibus, há o metrô, com 14 linhas, sendo o terceiro maior da Europa.

Paris é servida ainda pelo RER, uma rede ferroviária suburbana que facilita a ligação de toda a região metropolitana. Seis grandes estações ferroviárias ligam-na à sua periferia através das quinze ferrovias do Transilien, e a todas cidades da França e à zona rural próxima através do TGV ou de trens clássicos.
Paris é, após Londres, a cidade europeia que mais contabiliza passageiros aéreos (86,9 milhões em 2.008), sendo a quinta do mundo; ela conta ainda 2,24 milhões de toneladas de frete em 2.006 pelos dois aeroportos que acolhem o tráfego principal: o Aeroporto de Paris-Orly e sobretudo o Aeroporto de Paris-Charles de Gaulle.


Paris e a região Île-de-France possuem a maior oferta museográfica da França. Há não menos de 100 museus em Paris intra-muros aos quais se deve ajuntar os mais de 110 museus da região. Mas além dos grandes números, é sobretudo na diversidade das coleções que a riqueza se sobressai.
O museu mais antigo, de maior área e de maior coleção é o Museu do Louvre. Com um recorde de frequentação de 8,3 milhões de visitantes em 2.006, o Louvre é de longe o museu de arte mais visitado do mundo. Outros de renome mundial são o Museu Nacional de Arte Moderna (dentro do Centro Georges Pompidou) e o Museu de Orsay, consagrado essencialmente ao impressionismo.

Nas proximidades de Paris, o Palácio de Versalhes, edificado pelo Rei-Sol e residência dos reis da França ao longo dos séculos XVII e XVIII, atrai igualmente milhões de visitantes ao ano. O palácio e o parque de Versalhes são classificados na lista dos patrimônios mundiais da UNESCO desde 1.979.
Os cafés rapidamente se tornaram uma parte integrante da cultura francesa por causa de sua atmosfera, em particular a partir da abertura do café Régence no Palais Royal em 1.688 e a seguir, um ano mais tarde, do café Procope sobre a margem esquerda. Os cafés nos jardins do Palais-Royal ficaram muito populares ao longo do século XVIII e podem ser considerados como os primeiros "terraços de café" de Paris.

Esses últimos não chegaram a se expandir até que começaram a aparecer calçadas e bulevares em meados do século XIX. Durante a Revolução, os cozinheiros dos príncipes e dos nobres criaram o conceito de restaurante.
A reputação culinária de Paris tem suas fundações nas origens diversas de seus habitantes.
Com a chegada da ferrovia em meados do século XIX e a Revolução Industrial que se seguiu, muita gente de toda a França veio à capital, trazendo consigo toda a diversidade gastronômica das diferentes regiões do país e criando vários restaurantes de especialidades regionais, como "Chez Jenny" para a cozinha alsaciana e "Aux Lyonnais" para a cozinha de Lyon.
A imigração proveniente do estrangeiro trouxe consigo uma diversidade culinária ainda maior e hoje se acham em Paris, não só um grande número de estabelecimentos especializados nas cozinhas do Magrebe e da Ásia, mas também aqueles que oferecem pratos vindos dos cinco continentes.
Uma outra consequência do aumento do número de viajantes e de turistas na capital é, desde o fim do século XIX, a presença de numerosos hotéis, em parte devido às exposições universais.
Dentre os mais luxuosos, o Hôtel Ritz apareceu na Praça Vendôme em 1.898 e o Hôtel de Crillon abriu suas portas no lado norte da Praça da Concórdia em 1.909.
Paris foi sede duas vezes dos Jogos Olímpicos em 1.900 e 1.924. A cidade viu ainda duas finais do mundial de futebol em 1.938 e 1.998. Embora o tradicional Tour de France nem sempre comece em Paris, é nela que se encerra sempre a prova. E desde 1.975, seu encerramento sempre acontece na Champs-Élysées.
Paris também é sede do Torneio de Roland-Garros, um dos quatro torneios mais importantes de tênis do mundo.
Os principais clubes desportivos de Paris são o Paris Saint-Germain Football Club (futebol, estádio Parc des Princes), Paris Basket Racing (basquete) e Stade français (rugby).


http://pt.wikipedia.org/wiki/Paris


A Torre Eiffel é uma torre treliça de ferro do século XIX localizada no Champ de Mars, em Paris, que se tornou um ícone mundial da França e uma das estruturas mais reconhecidas no mundo. A Torre Eiffel, que é o edifício mais alto de Paris, é o monumento pago mais visitado do mundo, milhões de pessoas sobem à torre cada ano. Nomeada em homenagem ao seu projetista, o engenheiro Gustave Eiffel, foi construída como o arco de entrada da Exposição Universal de 1.889.
A torre possui 324 metros de altura. Foi a estrutura mais alta do mundo desde a sua conclusão até 1.930, quando perdeu o posto para o Chrysler Building, em Nova York, Estados Unidos. Não incluindo as antenas de transmissão, a Torre é a segunda estrutura mais alta da França, atrás apenas do Viaduto de Millau, concluído em 2.004. A torre tem três níveis para os visitantes. Os ingressos podem ser adquiridos nas escadas ou elevadores do primeiro e do segundo nível. A caminhada para o primeiro nível é superior a 300 degraus. O terceiro e mais alto nível só é acessível por elevador. Do primeiro andar vê-se a cidade inteira, tem sanitários e várias lojas e o segundo nível tem um restaurante.
A torre tornou-se o símbolo mais proeminente de Paris e da França. A torre é uma parte do cenário caracterizado em dezenas de filmes que se passam em Paris. Seu estatuto de ícone é tão determinado que ainda serve como um símbolo para toda o país, como quando ela foi usada como o logotipo da candidatura francesa para sediar os Jogos Olímpicos de Verão de 1.992.
Inaugurada em 31 de Março de 1.889, a Torre Eiffel foi construída para honrar o centenário da Revolução Francesa. Foi Construída para ser uma estrutura temporária.


Quando o contrato de vinte anos do terreno da Exposição mundial (de 1.889) expirou, em 1.909, a Torre Eiffel quase foi demolida, mas o seu valor como uma antena de transmissão de rádio a salvou.
Os últimos vinte metros da torre correspondem à antena de rádio que foi adicionada posteriormente.
A torre manteve-se como o monumento mais alto do mundo ao longo de mais de quarenta anos até ser destronada em 1.930 pelo o Edifício Chrysler, de Nova Iorque, que tem 329 metros.
Ao todo, desde a abertura, já recebeu um total de 244.000.000 de visitantes.
Em 2.011, teve 7,1 milhões de visitantes e a empresa que gere o monumento (Société d’exploitation de la Tour Eiffel – SETE) registrou um volume de negócios de mais de 73 milhões de euros .
http://pt.wikipedia.org/wiki/Torre_Eiffel

O Museu do Louvre (Musée du Louvre), instalado no Palácio do Louvre, em Paris, é um dos maiores e mais famosos museus do mundo. Localiza-se no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rivoli. O seu pátio central, ocupado agora pela pirâmide de vidro, encontra-se na linha central dos Champs-Élysées, e dá forma assim ao núcleo onde começa o Axe historique (Eixo histórico).
É onde se encontra a Mona Lisa, a Vitória de Samotrácia, a Vénus de Milo, enormes coleções de artefatos do Egito antigo, da civilização greco-romana, artes decorativas e aplicadas, e numerosas obras-primas dos grandes artistas da Europa como Ticiano, Rembrandt, Michelangelo, Goya e Rubens, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas. O museu abrange, portanto, oito mil anos da cultura e da civilização tanto do Oriente quanto do Ocidente.
O Louvre é gerido pelo estado francês através da Réunion des Musées Nationaux. É o museu mais visitado do mundo, recebendo em 2.011 8,8 milhões de visitantes e em 2.012 9,7 milhões de pessoas.
O primeiro real "Castelo do Louvre" neste local foi fundado por Filipe II em 1.190, como uma fortaleza para defender Paris a oeste contra os ataques dos Vikings.
No século seguinte, Carlos V transformou-o num palácio, mas Francisco I e Henrique II rasgaram-no para baixo para construir um palácio real; as fundações da torre original da fortaleza estão sob a Salle des Cariatides (Sala das Cariátides) agora. Mais tarde, reis como Luís XIII e Luís XIV também dariam contribuições notáveis para a feição do atual Palácio do Louvre, com a ampliação do Cour Carré e a criação da colunata de Perrault.
As transformações nunca cessaram na sua história, e a antiga fortaleza militar medieval acabaria por se tornar um colossal complexo de prédios, hoje devotados inteiramente à cultura. Dentre as mais recentes e significativas mudanças, desde o lançamento do projeto "Grand Louvre" pelo presidente François Mitterrand, estão a transferência para outros locais de órgãos do governo que ainda funcionavam na ala norte, abrindo grandes espaços novos para exposição, e a construção da controversa pirâmide de vidro desenhada pelo arquiteto chinês I. M. Pei no centro do pátio do palácio, por onde se faz agora o acesso principal. O museu reorganizado reabriu em 1.989.
O Palácio do Louvre é uma estrutura quase retangular, composto pela praça do Cour Carrée e duas alas que envolvem o Cour Napoléon a norte e ao sul. No coração do complexo, está a Pirâmide do Louvre, acima do centro dos visitantes. O museu é dividido em três alas: a Ala Sully a leste, que contém a Cour Carrée e as partes mais antigas do Louvre, a Ala Richelieu ao norte, e da Ala Denon, que faz fronteira com o Rio Sena para o sul.
Em 1.983, o presidente francês François Mitterrand propôs um plano o Grand Louvre a fim de renovar o prédio e transferir o Ministério da Fazenda, permitindo que exibisse todo o edifício. O Arquiteto I. M. Pei foi premiado com o projeto e propôs uma pirâmide de vidro para o pátio central. A pirâmide e seu átrio subterrâneo, foi inaugurado em 15 de outubro de 1.988. A segunda fase do plano do Grand Louvre, La Pyramide Inversée (A Pirâmide invertida), foi concluída em 1.993. A partir de 2.002, o atendimento dobrou desde a sua conclusão.
Em 2.004 o Louvre iniciou um programa de expansão extra-muros, a fim de aliviar o excesso de obras depositadas no complexo principal, abrindo então alguns museus-satélite. As cidades escolhidas foram Lens, para onde está prevista a instalação de cerca de 600 obras, e em 2.007 foi selecionada Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, que deve inaugurar a sua sucursal do Louvre em 2.012 em troca de 1.300 milhões de dólares americanos, recebendo de 200 a 300 obras de arte do Louvre e de outros museus franceses em caráter rotativo.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_do_Louvre


O Museu de Orsay é um museu na cidade de Paris, na França. Situa-se na margem esquerda do rio Sena no VII arrondissement. As colecções do museu apresentam principalmente pinturas e esculturas da arte ocidental do período compreendido entre 1.848 e 1.914. Entre outras, estão aí presentes obras de Van Gogh, Monet, Degas, Maurice Denis, Odilon Redon. Existem também exposições temporárias que ocorrem paralelamente à exposição permanente.
O edifício, que atualmente alberga o museu, era originalmente uma estação ferroviária, Gare de Orsay, construída para o Chemin de Fer de Paris à Orléans (em português, Caminho de ferro de Paris a Orleães), no local onde se erguera até 1.871 um antigo palácio administrativo, o Palais d'Orsay. Foi inaugurado em 1.898, a tempo da Exposição Universal de 1.900. O projeto foi do arquiteto Victour Laloux.
Em 1.939, deixou de ser o terminal da linha que ligava Paris a Orleães devido ao comprimento reduzido do cais, passando a ser apenas uma estação da rede suburbana de caminhos de ferro; e mais tarde, durante a Segunda Guerra Mundial serviu de centro de correios. A estação foi fechada a 1 de Janeiro de 1.973.
Em 1.977, o Governo francês decidiu transformar o espaço num museu. Foi inaugurado pelo presidente de então, François Mitterrand, a 1 de Dezembro de 1.986. Os arquitetos Renaud Bardon, Pierre Colboc e Jean-Paul Philippon foram os responsáveis pela adaptação da estação.


As coleções do museu provêm essencialmente de três locais: do museu do Louvre, as obras de artistas nascidos a partir de 1.820, ou que tenham emergido no mundo da arte com a Segunda República; do museu do Jeu de Paume, as obras impressionistas desde 1.947; e do museu de arte moderna de Paris, as obras mais recentes. Estas colecções abrangem várias vertentes das artes plásticas tais como a pintura, a escultura, a fotografia entre outras.
Pintores
Pierre Bonnard, Eugène Boudin, Gustave Caillebotte, Paul Cézanne, Camille Corot, Gustave Courbet, Honoré Daumier, Edgar Degas, Eugène Delacroix, Henri Fantin-Latour, Antoni Gaudí, Paul Gauguin, Vincent van Gogh, Hector Guimard, Jean-Auguste-Dominique Ingres, Gustav Klimt, Édouard Manet, Henri Matisse, Jean-François Millet, Piet Mondrian, Claude



Monet, Gustave Moreau, Berthe Morisot, Edvard Munch, Félix Nadar, Camille Pissarro, Pierre Puvis de Chavannes, Pierre-Auguste Renoir, Auguste Rodin, le douanier Rousseau, Paul Sérusier, Georges Seurat, Paul Signac, Alfred Sisley, Henri de Toulouse-Lautrec, James McNeill Whistler



Escultores
François Rude, Jules Cavelier, Jean-Baptiste Carpeaux, Auguste Rodin, Paul Gauguin, Camille Claudel e Honoré Daumier
http://pt.wikipedia.org/wiki/Museu_de_Orsay


O rio Sena é um rio do norte de França que banha a capital, Paris e que desagua no Oceano Atlântico. Tem uma extensão de 776 km.
Nasce a 470 metros de altitude, na Meseta de Langres, em Côte-d'Or. O seu curso tem uma orientação geral de sudeste a noroeste. Desagua no canal da Mancha, perto de Le Havre. A área da sua bacia hidrográfica é aproximadamente de 75 000 km².

A fonte do Sena é propriedade da cidade de Paris desde 1.864. Uma cova artificial foi construída um ano depois, para controlar a fonte principal.
O entulho proveniente das demolições, assim como o transporte de materiais para construção, areia, pedra, cimento e concreto, além de terra de escavação, são produtos que navegam pelas águas do Sena.
O carvão que abastece as usinas termoelétricas também é transportado por esse meio, para evitar congestionamento e poluição ambiental e sonora causada pelos caminhões, assim como o transporte de peças volumosas. O trigo, da famosa baguette francesa, também utiliza a hidrovia, pois os importantes moinhos estão localizados nas margens do Sena.



O transporte turístico de passageiros pelo Sena é uma atividade tradicional em Paris, com seus famosos bateaux mouches, barcos moscas. O número de turistas na França supera os 80 milhões, e a grande maioria visita Paris.
Como as principais atrações turísticas de Paris estão localizadas junto as margens do Rio Sena ou nas suas proximidades, de 200 a 500 metros, a Prefeitura de Paris está elaborando um projeto de interligação dos diversos trechos das margens do rio.
Os principais afluentes do Sena são, desde a sua nascente:
Pela margem direita: Aube, Marne, Oise, Epte, Andelle
Pela margem esquerda: Yonne, Eure, Risle
http://pt.wikipedia.org/wiki/Rio_Sena

O Arco do Triunfo é um monumento, localizado na cidade de Paris, construído em comemoração às vitórias militares de Napoleão Bonaparte, o qual ordenou a sua construção em 1.806. Inaugurado em 1.836, a monumental obra detém, gravados, os nomes de 128 batalhas e 558 generais. Em sua base, situa-se o Túmulo do soldado desconhecido (1.920). O arco localiza-se na praça Charles de Gaulle, uma das duas extremidades da avenida Champs-Élysées.


Iniciado em 1.806, após a vitória napoleônica em Austerlitz, o Arc de Triomphe representa, em verdade, o enaltecimento das glórias e conquistas do Primeiro Império Francês, sob a liderança de Napoleão Bonaparte – seja este oficial das forças armadas, esteja ele dotado da eminente insígnia imperial.






A obra, no entanto, foi somente finalizada em 29 de julho de 1.836, dada a interrupção propiciada pela derrocada do império (1.815). Com 50 metros de altura, o monumental arco tornou-se, desde então, ponto de partida ou passagem das principais paradas militares, manifestações e, claro, visitas turísticas.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Arco_do_Triunfo_(Fran%C3%A7a)





A Avenue des Champs-Élysées ou Avenida Campos Elísios é uma prestigiada avenida de Paris, na França. Com os seus cinemas, cafés, lojas de especialidades luxuosas e árvores de castanheiros-da-índia, a Avenue des Champs-Élysées é uma das mais famosas ruas do mundo e com aluguéis que chegam a € 1,1 milhão (USD 1,5 milhão) por ano, por 92,9 metros quadrados de espaço, ela continua a ser a segunda avenida mais cara em imóveis em toda a Europa, tendo sido recentemente (em 2.010) ultrapassada pela Bond Street, em Londres. O nome em francês Campos Elísios, faz referência ao lugar dos mortos na mitologia grega.
A Avenue des Champs-Élysées é conhecida na França como La plus belle avenue du monde ("A avenida mais bela do mundo "). A chegada de lojas de redes globais nos últimos anos tem mudado notavelmente o seu caráter e, em um primeiro esforço para conter essas mudanças, a cidade de Paris (que tem chamado esta tendência de "banalização") decidiu, em 2.007, proibir a multinacional sueca H&M de abrir uma loja na avenida. Em 2.008, porém, a cadeia de vestuário estadunidense Abercrombie & Fitch conseguiu abrir uma loja.




A avenida tem 71 metros de largura por 1,9 km de comprimento, iniciando-se na Place de la Concorde, junto ao Obelisco de Luxor, Museu do Louvre e Jardins das Tulherias,6 e segue a orientação sudeste-noroeste e termina na praça Charles de Gaulle, onde está o Arco do Triunfo. O prolongamento para noroeste na direcção do Grande Arco de la Défense é efetuado pela Avenida de la Grande Armée. Situa-se no 8º arrondissement de Paris, a noroeste da cidade.
A avenue des Champs-Élysées forma o Eixo histórico de Paris.
Um dos principais destinos turísticos em Paris, a parte inferior da Champs-Élysées é delimitada por edifícios como o Théâtre Marigny e o Grand Palais (que contém o Palais de la Découverte). O Palácio do Eliseu é um pouco ao norte, mas não na própria avenida.
Mais a oeste, a avenida está alinhada com cinemas, cafés e restaurantes, e lojas especializadas de luxo. A Champs-Élysées termina no Arco do Triunfo, construído por Napoleão Bonaparte para homenagear suas conquistas.
Esta avenida é servida pelos metrôs: Concorde, Charles de Gaulle - Étoile, Champs-Élysées - Clemenceau, Franklin D. Roosevelt et George V.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Champs-%C3%89lys%C3%A9es


A França há muito que é considerada um centro europeu para a arte e música. 

No campo da música clássica, a França já produziu inúmeros compositores, enquanto que na vertente de música pop assiste-se agora a um despertar do rock francês, hip hop, techno/funk e mesmo pop. A França é um país bastante grande com várias culturas diferentes.


Os principais destaques da musica francesa são:
Charles Aznavour, nasceu em Paris, em 22 de maio de 1.924. É um cantor francês de origem armênia, também letrista e ator.
Além de ser um dos mais populares e longevos cantores da França, ele é também um dos cantores franceses mais conhecidos no exterior. Ele atuou em mais de 60 filmes, compôs cerca de 850 canções (incluindo 150 em inglês, 100 em italiano, 70 em espanhol e 50 em alemão) e já vendeu bem mais que 100 milhões de discos. Aznavour começou sua turnê global de despedida no fim de 2.006. Após obter a cidadania armênia em dezembro de 2.008, Aznavour aceita em 12 de fevereiro de 2.009 se tornar embaixador da Armênia na Suíça. O anúncio oficial dessa nominação foi feito em 6 de maio de 2.009.

Aznavour teve uma longa e variada carreira paralela como ator, aparecendo em mais de 60 filmes.




Em 1.960, Aznavour estrelou Atirem no Pianista, de François Truffaut, no papel do personagem Édouard Saroyan. Também teve uma performance aclamada em 1.974, no filme O Caso dos Dez Negrinhos, e teve um importante papel de coadjuvante no filme O Tambor, de 1.979, vencedor do Academy Award de melhor filme em língua estrangeira em 1.980. Em 2.002 estrelou o filme Ararat, interpretando Edward Saroyan, um cineasta.




Françoise Hardy nasceu em Paris, em 17 de Janeiro de 1.944. 
É uma cantora e compositora francesa.
Françoise cresceu com a irmã, Michèle, e a mãe num pequeno apartamento em Paris. Quando terminou o ensino secundário, o seu pai ofereceu-lhe uma guitarra e Françoise começou a compor canções. A sua mãe estimula-a a ingressar na universidade e Françoise matricula-se na Faculdade de Ciências Políticas na Sorbonne, tendo depois mudado para Letras. No entanto, não chegou a concluir nenhum curso, descobrindo na música a sua vocação.
Em 1.961, com apenas dezessete anos, assinou um contrato com a editora discográfica "Vogue".
No ano seguinte Françoise alcança grande sucesso internacional com a canção "Tous les garçons et les filles" (mais de dois milhões de cópias vendidas), à qual continua associada até hoje.
Por esta altura Françoise conheceu o fotógrafo Jean-Marie Périer, com quem manteve uma relação amorosa até 1.967.
Em 1.963, participou no Festival Eurovisão da Canção como representante do Mónaco com o tema "L’amour s’en va", tendo alcançado o quinto lugar no concurso. No ano seguinte, é a vez do Festival de San Remo, na Itália, onde Françoise canta "Parla mi di te".
Em 1.967 iniciou uma relação sentimental com o músico Jacques Dutronc, o seu parceiro até hoje, com o qual teve um filho, Thom, em 1.973.
Em 1.971 lançou o disco "La question", resultado de uma colaboração estreita com a cantora e violonista brasileira, Tuca.
Em 1.988 Françoise anunciou que se retiraria do mundo da música e lança aquele que supostamente seria o seu último disco, "Décalages". Apesar da sua intenção, a retirada não se verifica e em 1.993 grava um dueto com Alain Lubrano, "Si ça fait mal", uma canção sobre o vírus da sida.
Dois anos depois assina um contrato com a editora Virgin e em 1.996 lança o álbum "Le danger".
Françoise Hardy regressou ao mundo dos discos em Novembro de 2.004 com a edição de "Tant des belles choses", aclamado pela crítica.


Édith Giovanna Gassion, ou simplesmente Édith Piaf, nasceu em Paris, em 19 de dezembro de 1.915 e morreu em Plascassier, em 11 de outubro de 1.963. Foi uma cantora francesa de música de salão e variedades, mas foi reconhecida internacionalmente pelo seu talento no estilo francês da chanson.
O seu canto expressava claramente sua trágica história de vida. Entre seus maiores sucessos estão "La vie en rose" (.1946), "Hymne à l'amour" (1.949), "Milord" (1.959), "Non, je ne regrette rien" (1.960). Participou de peças teatrais e filmes. Em junho de 2.007 foi lançado um filme biográfico sobre ela, chegando ao cinemas brasileiros em agosto do mesmo ano com o título "Piaf – Um Hino Ao Amor" (originalmente "La Môme", em inglês "La Vie En Rose"), direção de Olivier Dahan.




Édith Piaf está sepultada na mais célebre necrópole parisiense, o cemitério do Père-Lachaise. Seu funeral foi acompanhado por uma multidão poucas vezes vista na capital francesa. Hoje, o seu túmulo é um dos mais visitados por turistas do mundo inteiro.



Jean-Michel André Jarre nasceu em Lyon, em 24 de agosto de 1.948. É um instrumentista, compositor e produtor musical francês, filho do aclamado compositor de trilhas sonoras Maurice Jarre.
Jean-Michel é um pioneiro da new age, música eletrônica e música ambiente. É conhecido como um organizador de espetáculos ao ar livre de sua música, que combina luzes, displays de laser e fogos de artifício.

Seu primeiro grande sucesso foi o álbum Oxygène, lançado em 1.976. Gravado em um estúdio improvisado em sua casa, o álbum vendeu cerca de 12 milhões de cópias em todo mundo. Oxygène foi seguido de Equinoxe, lançado em 1.978, e em 1.979, Jarre se apresentou para um público recorde de mais de um milhão de pessoas, na Praça da Concórdia, em Paris, França, um recorde que ele mesmo quebrou três vezes.


Mais álbuns seguiram-se, e seu show de 1.979 serviu como modelo para suas atuações futuras em todo o mundo.
Até o ano de 2.004, Jarre tinha vendido aproximadamente 80 milhões de álbuns. Ele foi o primeiro músico ocidental a ser autorizado a realizar um show na República Popular da China, e detém o recorde mundial para a maior público num evento ao ar livre.
http://pt.wikipedia.org/wiki/M%C3%BAsica_da_Fran%C3%A7a



O cancan é uma dança francesa. Desde 1.850, Céleste Mogador, dançarina vedete do Bal Mabille, em Paris - que mais tarde se juntaria a orquestra do cabaré Moulin Rouge - inventou uma dança nova, a quadrilha: Oito minutos para cortar a respiração em harmonias perfeitas e com Offenbach como mestre da música incontestável.

A quadrilha era composta por meninas de 1,70 metro de altura, vestindo roupas coloridas e esvoaçantes, com liberdade de movimentos, ao som de trombones e cornetas. A nova dança foi considerada um ritmo endiabrado, de contrapeso, flexibilidade, em passos extremos de sensualidade e acrobacias, em que as dançarinas, em seu traje fascinante, faziam perder a cabeça de toda a Paris.
Em Londres, em 1.861, Charles Morton, inspirado pela quadrilha francesa, inventou o cancan. O termo refere-se aos ruídos provocados pelos passos marcados da própria dança. Enquanto na Inglaterra a dança chocava os ingleses, que chegavam a condená-la como "indecência", na França, o cancan não parava de crescer, mantendo como quesitos as dançarinas de 1,70 m, e a arte de mexer os quadris, levantar as saias e frou-frous, exibindo as jarreteiras, encantando e provocando o desejo no público entusiasmado.
Algumas das grandes damas do cancan francês foram Louise Weber (La Goulue), Jane Avril e Yvette Guilbert.

O cancan foi tema inspirador para muitos pintores do impressionismo, como Toulouse-Lautrec.
Alguns cabarés tornaram-se internacionalmente famosos pelo cancan, como o Moulin Rouge e o Chat Noir.


O Can-Can é uma mistura da Polca e da Quadrilha e foi dançado pela primeira vez em 1.822. Durante alguns anos, foi declarado ilegal, por ser considerado imoral e indecente, sendo então proibido pela polícia. O Can-Can é caracterizado principalmente por passos firmes e saltitantes, chutando alto e fortemente a perna. Normalmente o figurino desta dança consiste em meias de renda, botas de saltos altos, corpetes, penas na cabeça e saias de babados.
Depois da liberação da dança, ela tornou-se muito popular por volta de 1.830, e sua popularidade durou até 1944, quando então esta passou a ser apresentada em revistas e comédias musicais, principalmente na França. Originalmente o Can-Can era dançado por ambos os sexos; hoje, entretanto, é dançado só por mulheres. As músicas mais conhecidas do Can-Can foram compostas por Jacques Offenbach. O pintor Toulouse-Lautrec pintou quadros célebres de dançarinas de Can-Can.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Cancan

Os cabarés franceses são conhecidos em todo o mundo e marcaram época na história de Paris.

O Folies Bergère é um cabaret music hall, localizada em Paris , na França.
Fundada em 1.869, a casa estava no auge de sua fama e popularidade a partir da década de 1.890 " Belle Époque através da década de 1.920 " années folles . A instituição ainda está em atividade, e é sempre um forte símbolo da vida francesa e parisiense.


Localizado na 32 rue Richer no 9 º Arrondissement , o Folies Bergère foi construído como uma casa de ópera pelo arquiteto Plumeret . As estações de metro mais próximas são Cadete e Grands Boulevards .
Foi inaugurado em 02 de maio de 1.869 como o Folies Trévise , com tarifa incluindo operetas, ópera cômica, canções populares, e ginástica. Tornou-se o Folies Bergère (a Pastora Extravagante) em 13 de setembro de 1.872.
Desde 2.006, o Folies Bergère apresentou algumas produções musicais com entretenimento palco como Cabaret (2.006-2.008) ou Zorro, o Musical (2.009-2.010).
https://en.wikipedia.org/wiki/Folies_Berg%C3%A8re

Moulin Rouge é um cabaré tradicional, construído no ano de 1.889 por Josep Oller, que já era proprietário anteriormente do Paris Olympia. Situado na zona de Pigalle no Boulevard de Clichy, ao pé de Montmartre, em Paris, França. É famoso pela inclusão no terraço do seu edifício de um grande moinho vermelho. O Moulin Rouge é um símbolo emblemático da noite parisiense, e tem uma rica história ligada à boémia da cidade.
Há mais de cem anos que o Moulin Rouge é lugar de "visita obrigatória" para muitos turistas. O Moulin Rouge continua a oferecer na atualidade uma grande variedade de espectáculos para todos aqueles que querem evocar o ambiente boémio da Belle Époque e que ainda está presente no interior da sala de espectáculos.

Não obstante, o estilo e o nome do Moulin Rouge de Paris foram imitados por muitos clubes de variedades e salas de espectáculos em todo o mundo.
A sala, as bailarinas e os seus frequentadores constituem um dos temas preferidos na obra do pintor Henri de Toulouse-Lautrec. Sua grande estrela no início do século foi a inesquecível Mistinguett.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Moulin_Rouge






O Lido é um cabaret de espetáculos na Champs-Élysées em Paris, França que abriu em 1.946.



Famoso por seus shows exóticos e onde Elvis Presley deu um concerto de improviso.  Outros nomes famosos que se apresentaram lá incluem : Edith Piaf , Sylvie Vartan , Johnny Hallyday , Maurice Chevalier , Marlene Dietrich , Josephine Baker , Kessler Twins , Elton John , Laurel & Hardy , Dalida , Shirley MacLaine , Mitzi Gaynor e Noël Coward .




http://en.wikipedia.org/wiki/Le_Lido

Crazy Horse é

 um cabaré de Paris cujo seu espetáculo é executado por dançarinas seminuas.
Considerado um classicista na modernidade, em Crazy Horse, de Alain Bernardin, apresenta-se o ideal da beleza feminina de hoje, actualizando este conceito de acordo com a evolução ditada pelos criadores de setores tão variados como a moda, os audiovisuais, o cinema e a publicidade.


Na Paris do pós-guerra, Alain Bernardin foi uma das personalidades que participou na reconstrução cultural da cidade das luzes, reconduzindo-a ao prestígio internacional de outrora.
A sua contribuição baseou-se na concretização do sonho de homenagear a beleza do corpo feminino que ele, desde cedo, venerava.
A partir da descoberta dos números de striptease morte-americano, e com o apoio de Bing Crosby, comprou um teatro de 15 por 10 metros na Avenida George V, decorou-o ao estilo dos saloons do oeste americano e baptizou-o de Crazy Horse em memória de um guerreiro índio.

Com uma inauguração de luxo a 19 de Maio de 1.951, o «Crazy Horse» esteve desde o começo votado ao sucesso, atraindo muitos famosos como Alain Delon, Jean-Paul Belmondo, Salvador Dalí, Tony Curtis, Aristóteles Onassis e Maria Callas, Sammy Davis Jr, Burt Lancaster, Karl Lagarfeld, Prince, entre muitos outros.





Mais recentemente, alguns estilistas, como Paco Rabanne, Loris Azzaro, Azzedine Alaia e Jean-Claude Jitrois, quiseram associar-se ao conceito «Crazy Horse», contribuindo com os seus desenhos.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Crazy_Horse_(cabar%C3%A9)

O champanhe (em francês champagne) é um vinho branco espumante, produzido na região de Champagne, nordeste da França, através da fermentação da uva (uma espécie ou várias).
O champanhe é produzido na região administrativa de Champagne-Ardenne, cuja capital é Epernay. Foi próximo a Epernay, no povoado de Hautvillers, que os monges Dom Pérignon e Dom Ruinart se esforçaram muito para domar os vinhos que fermentavam novamente nas garrafas, fazendo-as explodir.

Esta antiga província histórica produz igualmente os vinhos chamados "tranquilos" (não-espumantes) que levam denominações diferentes como tintos, brancos ou rosados e são produzidos nas cidades de Bouzy, Virtudes, Damery.
No entanto, a região de Champagne produz, em grande maioria, vinhos espumantes (brancos ou rosados) chamados simplesmente de champanhe, sem mais especificações. Eles são produzidos obrigatoriamente à base apenas das uvas chardonnay , pinot noir e pinot meunier .
Aos romanos atribui-se o fato de terem plantado as vinhas na região, embora haja documentos históricos que atestem que a cultura da vinha vem de muito antes, como do famoso escritor de então Plínio, que escrevia já dos famosos vinhos e vinhas desta região, e aos romanos se deve o início da produção dos espumantes em França.



Um dos motivos que elevaram a fama deste vinho foi o fato de que em Reims, cidade mais importante de Champagne, foram coroados quase todos os grandes reis da França. A coroação acontecia na catedral de Notre-Dame de Reims, construída em 1.225, e nas comemorações era servido champanhe. Por este motivo, ficou conhecido como o vinho dos reis.




http://pt.wikipedia.org/wiki/Champanhe_(vinho)




Uma praia em Paris durante o verão
Você está em Paris e quer pegar um sol de biquini, ler um livro na areia, nadar um pouco…? Pode sim!



Mais uma vez neste verão, Paris Plage  (Paris Praia) abre o seu espaço nas margens do rio Sena do dia 20 de Julho até o dia 18 de Agosto de 2.013. Essa operação é destinada a todos os Parisienses e de modo geral, aos habitantes da região bem como aos turistas.




E vai ter como se divertir: basquete, tênis, luta, tênis de mesa, tai-chi, dança de salão, área de fitness, oficinas, concertos e espetáculos… Além disso terá piscina, chuveiro e  jogos aquáticos. Paris Praia vai satisfazer todos, crianças e adultos.
http://www.biarritz.net.br/category/noticias/





Fontes : além das já citadas




Um comentário:

  1. I have just downloaded iStripper, and now I enjoy having the best virtual strippers on my desktop.

    ResponderExcluir